Não desistas. Não ainda...

warm side of winter  - steve hanks by JUAN DE FLANDES, via Flickr:


Dá-lhe tempo, tenta percebê-lo, lê-o melhor e talvez o esforço até venha a compensar!

Não desistas de quem parece ter sabido como te tocar. Não desistas de um amor que surgiu quando mais nenhum te parecia já ser possível. Não desistas de tudo o que vos une, de cada pequeno nada em comum e que até se tem transformado no muito que já te atreveste a sentir.

Os medos, as dúvidas e as incertezas vão sempre existir, mas podes escolher confiar, deixando que ele te veja como és e olhando-o tu como ele é mesmo, porque algumas pessoas foram feitas para estarem juntas, para se tornarem mais completas, fornecendo, cada uma, o seu pedaço de história e ajustando o que ambas procuravam. Os medos impedem-nos de tanto, que já nada do que éramos antes, nem a coragem que parecíamos ter perante a vida, tem forma de nos conseguir confortar nos momentos mais desafiantes. Os medos atiram-nos até para a chuva, deixando-nos de alma ensopada e numa solidão que se entranha na pele e na carne. Os medos fazem-nos esquecer de tudo o que já fomos capazes de resistir, vencendo cada etapa e passando às seguintes, mais capazes e confiantes.

Se desistes, eu vaticino que muita dor estará à espera, na vossa esquina, para um e para outro e que acabarão tão magoados, que o afastamento emocional com os outros será ainda maior e mais difícil. Dá-te a ti mesma mais uma chance, mesmo que seja a última, e depois, se mesmo assim não resultar, estarei aqui para te dar o abraço que te encaminhará, aliviando-te de alguma dor, garantindo que terás mais dia depois do cinzento e que sobreviverás a tudo, mas não sozinha.

Não desistas, não agora, persiste já que resististe tanto tempo. Não desistas, não ainda...

0 Comentários