Livres até para amar!

em 21.5.16


A minha liberdade e a tua, vem passando, também, e bem mais do que tudo o resto, pelo amor que sabemos acumular, deixando-o nascer e desenvolver, como se de um filho se tratasse, e espalhando-o como uma era verde, gigante, para todos quantos o conseguirem ver e aceitar. A minha liberdade, tal como a tua, está na capacidade de receber o que tão a custo me passaram. O respeito pelo que sou, pelo que sonho e quero para mim, não descurando quem também anseio e preciso de ter ao meu lado. A minha liberdade, a nossa, tornou-se tão adquirida, que por vezes me esqueço de lembrar o que já nos faltou, e o quanto, porque agora vou onde quero, sou o que decido construir e chego onde o meu coração mandar. A minha liberdade permitiu-me escolher-te, tendo-te nas escolhas que fizemos ambos, amando-te, livremente e sentindo que serás o que eu for e que estaremos, da mesma forma e com os mesmos direitos.

Gosto de gostar de ti assim, livre, sem grilhetas emocionais, apenas eu mesma, com tudo  o que conseguiste ver. Gosto de não precisar de máscaras, de apenas sentir, de te sentir, dando-me como sempre desejaste e recebendo o que tanto esperei conseguir. Gosto da forma como crescemos num amor que nos recorda, a cada dia, que podemos continuar a ser um e outro, mas igualmente nós, de forma mais completa, numa mistura que sempre nos chega quando o coração está cheio.


Sem comentários , comente também!

Enviar um comentário