Mantém-me aí, desse lado de ti!

Mantém-me aí, desse lado de ti!

Mantém-me aí, desse lado de ti!

Woman Running on Sand Near White Concrete Building

Deixa-me ficar desse lado. Continua a ver-me dessa forma, junto à luz, porque assim nada de mim ficará de fora!

Mantém-me junto a ti, mesmo que estejas do outro lado do meu mundo. Não desistas, não te pares e quem sabe desta vez, com o devido empenho, não me terás de volta. Não vou falhar na promessa. Não me vou refugiar no ontem, no que correu mal, na tua fuga para a frente, a que apenas serviu para me quereres ainda mais, com mais força, desejando o corpo que até já foi teu.

Mantém-me aí, junto a ti. Sem que desesperemos, à espera do que eventualmente chegará, porque até foi a ti que reconheci. Foi por ti que também esperei para que estivesses pronto e para que viesses.  Mantém-me tão próximo quanto a distância deixar, porque quem já percebeu o que lhe mudará a vida, não pode continuar a fugir dela, negando o que mais nada nem ninguém tem. Mantém-me próxima de ti até que me consigas tocar uma vez mais e para que cada momento se arrume em nós.

Entendi tudo o que falaste. Recebi cada som e trabalhei-os com a devida atenção, percebendo que o que dizias fazia sentido e que era o que tinha imaginado em ti. Desta vez não me restaram dúvidas. Desta vez soube que não te tinha fantasiado e que eras exactamente como te vira por dentro, porque afinal ao reconhecer-te passei a saber bem mais do que já sabias tu.

Agora já tens com que te manter até que chegues, até que chegue eu, até que nos voltemos a tocar, até que falar deixe de ser preciso. Agora já podes voltar a  confiar que eu nunca fui a lugar algum, porque que estive sempre aqui. Agora sabes que o tempo andará mais rápido, porque depois do tempo estarei eu, a mulher que já admites ser tua.

QUERO LER O POST COMPLETO

Ela não é como eu!

Ela não é como eu!

Ela não é como eu!

inspiration Milene Lourenço


Será que consegues, quando fechas os olhos, não me ver? Terás forma de me deixar ir, não comparando o que já te proporcionei? Será que amas tanto quanto me amaste?

Ela não é como eu e não preciso de muito para o saber, tal como o soubeste já. Ela não tem o que encontraste em mim e olha que nem foi o meu todo. Ela não é como eu meu amor, porque nunca terás outra igual.

Será que te consegue arrepiar inteiro, só com o olhar, e depois de te beijar? Será que carrega o calor que te aquece por dentro e te passa as sensações com que te inundei e sei que ainda o faço em cada sonho. Será que te ama como o fiz, até quando não sabia quem eras e pelo tempo que se estenderá  enquanto for eu?

Ela não é como eu e até o sabemos, os três. Ela não tem como te impedir de recordar o que tivemos e nunca será capaz de parar o mundo onde giramos os dois. Ela não é como eu. Ela não te toca, sente e move da mesma maneira, com a mesma intensidade e desejo. Ela não é como eu e não vais ter como nos arrumar, não enquanto não vieres até a mim para que te devolva o que largaste. Ela não é como eu e não te sopra as palavras certas, com o meu timbre e com tudo o que carrego dentro. Não geme de forma coordenada, mesmo quando quase me perdia para o prazer que me passavas. Ela não é como eu e não adianta continuares a fugir. 

Continuo aqui. Continuo igual a mim e à espera que pares de te parar. Continuo a saber o mesmo de nós e determinada a que sejas o meu futuro. Ninguém é como eu homem da minha vida, não teimes mais e termina com o que nos prende com barras de ferro. Continuo a querer-te da mesma maneira e mesmo que não o saibas, tens que aprender a acreditar no que sentes, porque como eu, apenas eu mesma, hoje e sempre.
QUERO LER O POST COMPLETO

Mesmo que queiram impedir-nos de ser, permaneceremos...

Mesmo que queiram impedir-nos de ser, permaneceremos...

Mesmo que queiram impedir-nos de ser, permaneceremos...

Vontade de você


Mesmo que queiram e que julguem que conseguem impedir-nos de sentir, eu sei e tu sabes, que já não é possível!

Nada do que vem de fora de nós tem mais poder, ou mais palavras do que as que nos passamos, a cada dia, bem lá de dentro, pelos corpos que nos pertencem e pelas emoções que criámos no momento em que deixámos de ser apenas um. Nada do que pensem os outros, circula no mesmo plano que os nossos pensamentos. Nada nos interrompe os olhares que só pousam onde importa, em mim e em ti ao mesmo tempo.

Amar-te é o que tenho aprendido a fazer, sentindo-te mesmo quando não estás onde te reclamo. Amar-te faz de mim esta pessoa, especial, com uma alma que envolve todos os planetas, porque me torno tão grande, quase imortal e capaz de ir onde eu me ordenar, porque também lá estarás. Amar-te tem sido como os movimentos que uso quando paro de me controlar e sou a mulher que sempre precisaste, tocando-te onde mais ninguém sabe, nem pode.

Mesmo que queiram decifrar-nos, entendendo o que por vezes nem mesmo nós conseguimos, porque o que se é raramente se explica, deixará de ser possível quando o determinarmos.

Não me importa quanto tempo levarás a alcançar-me, se os nossos momentos se ficarão apenas por este portal, ou se teremos que viajar, outra vez, para sabermos onde pertencemos. Nada do que está para além do que é nosso me interessa. Nada do que queiram ver quando apenas nós precisamos de olhar, muda o que quer que seja.

É bom que saibam, desde já, até onde consigo projectar-me para não te perder. É bom que acreditem que já aprendi o que precisava para te manter colado a mim e para que continue a ser tão bom quanto o foi no minuto em que te toquei. É bom que entendam que mesmo que queiram diferente, teremos que o querer nós primeiro.
QUERO LER O POST COMPLETO

Será que somos os mesmos?

Será que somos os mesmos?

Será que somos os mesmos?

Never regret something that once made your heart smile....  #lifelessons #portrait #photography  Photo Credit: "Girl" by Bogdan Ross on 500px


Tanto tempo, vida, lugares e pessoas que já passaram por nós, que sabermos, com toda a certeza se somos os mesmos e sentimos como antes nos deixa de pernas trémulas e de lábios secos!

Será que somos os mesmos? Será que vamos ter como reaver cada um dos minutos que estendemos porque precisávamos de continuar a viver? Será que o teu corpo ainda reconhece o meu e sabe que sabor lhe deixará? Será que a força de que fomos feitos, eu e tu, quando nada na nossa vida se parecia com alguma coisa identificável, nos permitirá retomar do mesmo ponto?

És, inquestionavelmente, a minha pessoa certa e tens tudo o que me poderá alguma vez fazer falta, porque sem ti preciso de muito pouco. É contigo, tal como já o foi antes, que me reconheço e faço sentido. Nada de mim, nunca, não nesta vida porque das outras não me lembro, foi tão natural e certo. És tu sim e sou eu para ti, mesmo que não o quisesse admitir.

Será que somos os mesmos ainda? Será que poderei contar-te sobre cada um dos anos em que não estiveste, não fisicamente, mas nos quais nunca saíste de mim? Será que te doeu com a mesma dor? Será que te sentiste rasgar de desespero, enquanto tentavas em vão manter o sonho para além da noite? Será que me sentiste dentro de ti e saboreaste a mesma boca que agora se cala, não porque me falte o que dizer, mas porque não sei como o fazer? Será que vamos voltar a ser apenas nós, deixando ir de vez, quem afinal nunca esteve por perto? Será que ainda somos os mesmos?


QUERO LER O POST COMPLETO

Sei que te magoaram!

Sei que te magoaram!

Sei que te magoaram!

Confesso que preciso de sorrisos, abraços, chocolates, bons filmes, paciência e coisas desse tipo. Caio Fernando Abreu


Sei que te magoaram e deixaram de asa derrubada. Sei até que os beijos de antes nunca tiveram o sabor que acabaste a experimentar comigo, mas também sei que não fui eu que te magoei e que terás que saber deixar no passado, o teu passado!

Sei que te magoaram e que nada do que vês de mim e comigo, te permite afastar do que já viveste.
Sei que te magoaram até fazerem de ti este homem que recusa ter-me, por não querer mais dor.
Sei que te magoaram, mas eu prometi que te iria amar até que as dores se fossem, tão depressa quanto me instalaria, se ao menos deixasses.

Não me empurres. Não olhes para o lado contrário. Fala comigo, diz-me o que pensas e o que queres para nós, porque eu até sei que o "nós" existe na tua cabeça. Não me afastes meu amor, vem e fica comigo. Não desistas da felicidade que até já sentiste de mim, porque eu sei que sou a mulher que te serve.

Se me desses metade da oportunidade que outras já tiveram, eu saberia o que fazer com cada pedaço de amor que tenho para te dar. Se viesses até mim de alma aberta e me confessasses os teus medos, eu teria como te injectar cada emoção e todos os desejos que desejo partilhar contigo. Se ao menos entendesses que serei, sempre, a que te entenderá, conseguindo que me olhes e vejas como sou mesmo e como preciso de precisar de ti.

Sei que te magoaram, mas quero ser a que te encherá a alma e o coração, reservando o corpo, os toques e os beijos para que nunca duvides e para que me sintas até quando não me puderes tocar.  Quero ser a que imaginas, e se o que falta é dizer que ficarei, que nunca te deixarei e que nunca arriscarei desistir de ti, eu faço-o, desde que venhas e me faças sentir o que até sei que consegues.

Sei que te magoaram meu amor, mas também sei que não fui eu...
QUERO LER O POST COMPLETO

Se nos pomos a duvidar de tudo...

 Se nos pomos a duvidar de tudo...

Se nos pomos a duvidar de tudo...

Woman Wearing Grey Cap Sleeve Shirt Beside Green Leaf Tree during Daytime


E se nos pomos a duvidar de tudo, como é que acabamos? Provavelmente secos como palha ao sol!

O que nos levou até alguém teve uma razão, um propósito e sentimentos associados, se nos deixou bem, mesmo tendo acabado, não deve ser questionado. Achar que tudo foi falso e dissimulado, só nos pode fazer mal ao coração, à auto-estima e à esperança de voltarmos a esbarrar em algo certo. Por isso o melhor é reviver os bons momentos, soltando das mãos o que não resultou, até porque uma relação serão sempre duas pessoas e se nos enganaram foi porque falhámos ver.

Os "será que" não podem cobrir tudo o resto e não nos devem esmagar, de contrário caímos e desistimos do melhor, que é e será sempre o amor, e se amámos, foi porque valia a pena.

Se nos pomos a duvidar de tudo, ficamos com ambos os pés atrás e depois nada corre de forma ligeira e assumida e a verdade é que temos que assumir quem nos entra e vem esfregar muitas ideias pré-concebidas na cara. O amor não é controlável e certamente que a sê-lo ficaríamos todos a perder. O amor é a capacidade de que nos munimos para querer mais do que nos cabe e mesmo assim continuar a querer. O amor vem sem aviso e mesmo que vá de igual forma, servirá pelo tempo que durar. O amor não nos deve deixar dores demasiado profundas, porque o sabor que ele carrega consegue adoçar até os corações empedernido.

Temos que encontrar em nós mesmos a capacidade de repetirmos, quantas vezes precisarmos, os sentimentos que nos manterão vivos, porque sem eles nenhuma parte de nós servirá a alguém. 
QUERO LER O POST COMPLETO

Sonhar com o amor que te tenho...

Sonhar com o amor que te tenho...

Sonhar com o amor que te tenho...

Razão de viver....


Os sonhos que te incluem, e eles são diários, parecem-me sempre de ouro e de prata. Os sonhos onde caminhas, sempre da mesma forma, como se estivéssemos ambos num filme, fazem-me querer mais e nunca ter que acordar, mas...

Sonhar com o amor que te tenho tem-me mantido viva e viver só me serve se existires, mesmo que em sonhos, por agora. Nos sonhos nunca te perco, nem mesmo para o dia que nasce teimoso. Aproveito cada segundo e prolongo os beijos que me dás, porque até a sonhar têm sabor e é o mesmo. Os abraços apertados e sentidos, até de ti para mim, permitem-se saber por que foi que te comecei a amar. Nada é tomado por garantido quando estou a sonhar e preciso apenas de esperar alguns momentos para que venhas. Vens sempre. Estás sempre onde estou. Encontro-te sempre e de qualquer forma, ao contrário da vida onde até posso sonhar acordada, mas na qual a realidade me fustiga impiedosa e onde foste tu a querer saber de mim.

Sonhar com o amor que te tenho é o que consigo fazer para que não te perca de vez, mas mesmo que o teu cheiro se me entre dentro, estou a precisar, desesperadamente, de te ter mais. O meu corpo quer-te para além do sonho e tem sido ele a tornar tudo mais difícil.

Vou deixando que os dias corram, cheios, arrastando-me para o que não pareço ser capaz de sossegar, mas espero sempre e tranquilamente pelos nossos momentos e é neles, em cada um, que pareço enfeitiçada, mesmo que livre, livre para te sonhar como a minha alma deseja.

Sonhar com o amor que te tenho e planeio amar-te ainda por muito tempo, diz-me que talvez consiga parar de apenas sonhar!
QUERO LER O POST COMPLETO

Fácil nada será...

Fácil nada será...

Fácil nada será...

Woman in Purple Sweater Sitting on Wooden Floor With View of Lake and Mountains


Fácil nada será, mas ao que tem que ser feito não adianta adiar, porque quanto mais prosseguirmos, mais caminho teremos que percorrer para regressar!

Nunca é fácil admitir que nos enganámos e que fomos enganados. Nunca é fácil perceber que o que ouvimos não nos era dirigido. Nunca é fácil desistir de alguém, achando que outro nos poderá tomar o lugar. Nunca é fácil ser de quem desiste de nós mal o frio comece a gelar. Se fosse fácil, seríamos a primeira escolha, a única e a certa.

Quem é que aceita, de ânimo leve, o falhançoQuem consegue deixar de olhar para trás, quando não percebeu todos os sinais, mesmo estando lá? Quem adormece, sereno, depois de reviver cada pedaço de vida que nunca lhe chegou a pertencer?

O que magoa mais e quase impede de continuar não é a pausa forçada, é a vergonha da pequenez e a lentidão na compreensão. O que magoa é saber que fomos usados e que nunca, em momento algum, se atreveram a querer mais de nós do que migalhas, porque o bolo inteiro já lhes pertencia. O que vai continuar a magoar, durante algum tempo, é perceber que afinal não somos assim tão inteligentes e que podemos, sim, ser enganados por quem dança bem melhor, até em terreno agreste.

Fácil nunca será, sobretudo amar sozinho, não tendo retorno e mesmo assim acreditando que o teríamos. Será que por vezes os planetas se movem, ou a terra gira ao contrário? Só assim se explica tanta burrice e incapacidade de vermos para além de nós.

Mesmo doendo, vai ser com cada pedacinho de uma dor alucinante, que te irei tirar mais depressa, porque de cada vez que me atrever a recordar-te, receberei em troca facadas tão profundas, que a insistir sei que acabaria a esvair-me em sangue.
QUERO LER O POST COMPLETO

E é tanto o amor que te tenho...

E é tanto o amor que te tenho...

E é tanto o amor que te tenho...

For more: @MissMind • Feel free to message me • daily new pins •


Quero possuir a tua alma sem perder a minha. Quero ser capaz de sentir que a tua vida só acontece porque eu existo. Quero tudo o que vem de ti, porque me manténs de coração a bater. Quero a certeza de que foste feita para mim, mesmo que o sinta de cada vez que te possuo, sempre que te beijo e permito que nos roubemos o ar, a cada toque que me arrepia só por saber que és minha e sê-lo-ás sempre e para sempre.

Não sei que nome se dá a um sentimento assim e como foi possível que viajasses, tantos séculos, até chegares ao meu lugar, por que na verdade terias que ter sido tu a vir. Fazemos tanto sentido que nos entendemos sem palavras, eu usava-as pouco, mas depois de ti e por ti, passei a permitir que jorrem vocábulos da boca que se pousa na tua sempre que me deixas e tu deixas sempre.

Adoro ver-te dormir, a tua respiração tranquila, bem diferente do teu mar revolto quando estás acordada e tens o sorriso mais quente e aberto deste universo. Adoro o vai vem dos teus seios e cerro as mãos para não os tocar, acordando-te. Adoro os cabelos que te caem em cachos brilhantes e é neles que me enrosco, sentindo o cheiro que me enlouquece. Adoro saber que te adoro desta maneira e nunca, em nenhum momento, receio perder-te, porque sem mim não serias nem metade da mulher que amo, e sem ti morreríamos ambos vazios.

Quis tanto poder possuir a tua alma, mantendo a minha, que acabei por as misturar ambas e agora somos isto, somos nós, assim, como apenas eu e tu explicamos...
QUERO LER O POST COMPLETO

Mas não é que te amo mesmo?

Mas não é que te amo mesmo?

Mas não é que te amo mesmo?

24.6 mil Me gusta, 154 comentarios - Maria Rodrigues (@maria_rodrigues9) en Instagram


Mas não é que te amo mesmo? É verdade, quem diria!

Quem é que sabe, ou se lembra, do que é acordar com um "amo-te"? Existe lá alguma coisa melhor, nem exercício físico, nem um bom pequeno-almoço ou sequer uns sapatos Louboutin, nada se compara a um sentimento partilhado, mas vivido, porque o que se sente deve ser dito e repetido todos os dias da nossa vida, até que duvidar deixe de ser possível.

Gosto da forma como me vês, e me incentivas, reparando em todos os meus detalhes, por mais pequenos e acentuando o que nem sabia que existia. Gosto deste teu gostar novo, cheio de uma energia que contagia até os mortos de espírito. Gosto da sensação de renovação, de recomeço, o mesmo que nos chega com o início de um novo ano. Gosto de perceber de que forma consegui começar a gostar de ti, não, vou corrigir, gostar não é nada, até porque eu gosto de gelados, mas passo bem sem eles, AMAR, assim está melhor, deixando-me simplesmente ir.

É verdade, porque está provado e registado, que um novo amor limpa o anterior de forma tão definitiva, que nada para trás, mesmo nada, jamais terá a importância que lhe atribuíamos. É verdade que se nos dermos a chance, conseguiremos sobreviver ao caos e à desordem, arrumando-nos de forma a sermos e a termos o que sempre achámos importante. É mesmo verdade que a nossa metade existe e que só temos que estar atentos para o não deixar passar.

Vamos lá a amar-nos, usufruindo não apenas do fim-de-semana, mas da vida, porque é esta que temos e não adianta querer passá-la ao lado!

QUERO LER O POST COMPLETO

E se?

E se?

E se?

Cutie Fanatic


Se nos focássemos apenas em nós. Se soubéssemos viver no hoje, não esperando nada de ninguém, como nos sentiríamos afinal?

Cada um que fale por si, mas a mim não me agrada de todo, a ideia. Eu gosto de gostar dos outros, de me preocupar, de esperar que tenham mais a cada dia e que sejam irremediavelmente felizes, porque a vida já é uma passagem demasiado rápida, não precisamos de a apressar ainda mais, até porque na pressa seremos mais velhos, apenas isso. Se usássemos todos a mesma linguagem, comunicando de forma neutra, com sorrisos forçados e mecânicos, então o que é que nos distinguiria? Eu prefiro sentir a dobrar, sofrer a triplicar com as desilusões, mas acordar e adormecer a saber que estou viva, que sei quem sou e o que faço aqui. Já quase que dava a letra de uma canção.

Eu continuo a esperar TUDO e a querer TUDO, de mim e dos outros, sobretudo dos que amo, porque deles virão as energias para ser ainda melhor e para saber, no meu futuro, que esperei pelo que iria ter que chegar.

Se eu fosse igual a ti certamente que já me teria restaurado, seguido em frente e usado mais umas quantas pessoas, mas eu sou eu e de cada vez que me analiso, percebo que estou certa, que não desbarato nada, sobretudo emoções. Se fosses um pouquinho mais como eu, certamente que já estaríamos a planear o resto da nossa vida juntos.

Queres saber o que eu faria, SE estivesse no teu lugar? Pergunta-me!

QUERO LER O POST COMPLETO

Queria tanto continuar a querer-te!

Queria tanto continuar a querer-te!

Queria tanto continuar a querer-te!

Conceptual, Lifestyle and Beauty Portraits by Luis Alejandro Gonzalez #photography


Queria ter, tal como tu, alguém que me esperasse em casa e se alegrasse por me ver chegar. Queria saber que no final de todas as minhas horas, enquanto vou sendo para os outros, estarias tu e eu seria tudo o que viria de volta. Queria que o meu mundo andasse mais devagar e apenas acelerasse quando te olhasse. Queria tanto ter-te...

Agora, talvez com o tempo e com a idade, sinto menos falta do que me parece fazer falta e vou deixando que o medo de me "apagar" se instale, mesmo que não queira deixar de querer. Tanto que deixei de viver, achando que o viveria contigo, mas foi tanto o que não vi acontecer, que regressei a mim, à que usa as memórias, mas deixou de experimentar a vida, assim, como ela deve ser vivida, a dois.

Queria tanto continuar a querer-te, mas já duvido até da vontade de o fazer acontecer. Gostava de ser mais arrojada na forma como sonho quem sonhará comigo. Precisava de interromper o ciclo de evasivas e desalento para com os que apenas carregam presentes envenenados. Matava por conseguir entender os que não se entendem com ninguém, porque escolhem apenas deixar-se ir.

Queria tanto continuar a querer-te, mas apenas se me quisesses de igual forma, porque não sei o que significa menos quando amo. Queria tanto, muito, que já não precisasse de esperar por mais nada que viesse de ti, porque já saberia tudo o que parece faltar-me agora.
QUERO LER O POST COMPLETO

Ai a visão masculina...

Ai a visão masculina...

Ai a visão masculina...

Verde que te quero verde

Vi-a, linda, altiva, elegante, uma mulher cheia de classe, mas que não parecia estar ali, bebia o garoto claro, como lhe ouvi pedir e não olhava nem via ninguém!

Será daquelas que julgam que são demasiado importantes para o mais comum dos mortais? Será das que de muito bonitas até são insuportáveis e antipáticas?

Rapidamente obtive resposta contrária, ao ver aproximar-se dela uma das empregadas da pastelaria a quem largou um enorme sorriso. Que boca tão desejável, lábios carnudos, com dentes alinhados e brancos.

- Olá Patrícia, como está?

Então chama-se assim, gosto, mas não tem cara de Patrícia.

Trocaram palavras agradáveis, riram muito e brincaram. Vi e percebi  uma outra mulher, que apenas se distancia para se proteger do assédio, caramba e deve ser intenso. Não consigo descortinar a idade, já é madura, pele morena e uns olhos verdes com um brilho absurdo, quase insultuoso. Agora já me começo a atrever a olhar o seu corpo de formas irrepreensíveis. No verão a capacidade de esconder gordurinhas torna-se uma tarefa mais comprometedora. Percebi que os seus seios caberiam nas minhas mãos, o tamanho ideal, que as suas pernas torneadas e sem celulite, ai afinal os homens também reparam em tudo, se moviam periodicamente para evitar o cansaço. Estava de pé ao balcão e por vezes afastava os fios de cabelo da cara. Eram tão brilhantes que me apetecia tocá-los e cheirá-los.

Aproximei-me mais um pouco e como sou um tipo de faro apurado, imediatamente identifiquei o Light Blue da Dolce & Gabbana. Suave e frutoso, adoro!

Por esta altura já me viu. Uhm, talvez até o já tivesse feito antes, as mulheres e a sua visão periférica. Já se move com algum desconforto, mas assim mesmo consegue dar-me um sorriso. Vou lá falar-lhe? Ficará ela a achar que sou um assanhado tal como muitos outros a quem terá que dar um chega para lá?

Raios que partam isto, nunca me senti assim antes, pareço um catraio com cueiros. Bem, pelo menos já sei o nome, o lugar que frequenta e que a empregada a conhece bem. Acho que me vou armar em forte e sair sem dizer nada. Amanhã volto, e no outro dia, e no outro, até que possa ouvir o som da sua voz, que antecipo seja quente, a projectar palavras, até que o mesmo sorriso que lhe vi hoje seja para mim.

Estou apanhado, fui apanhado, vem aí desgraça!
QUERO LER O POST COMPLETO

Porque foi que me deixaste ir?

Porque foi que me deixaste ir?

Porque foi que me deixaste ir?

Photography of a Woman Holding Lights

De onde tiraste a ideia de que me poderias simplesmente deixar ir? Quem te mandou olhar para o lado contrário, durante o tempo que me fez sair de ti? Onde julgaste tu que me encontrarias quando te decidisses, finalmente, a perceber que era eu? O nosso destino não se compadece com as distracções, se não estivemos atentos, teremos que ficar na fila, e aguardar, muitas vezes, por uma próxima vida.
Quem te mandou tomares-me por garantida achando que apenas tu olharias para mim e por mim

Não me cabia lembrar-te ou acordar-te para mim. Não me cabia fazer-te entender que ou me tinhas, realmente, ou acabarias a perder-me para sempre. Não era de mim que teria que chegar o que te faltava. porque eu era tão simplesmente a mulher que escolhera amar-te, esperando, pacientemente, que também o fosses. 

Não te consegui ler. Não cheguei a saber que dores carregavas para teres essa vontade de continuar a voar, sozinho, sem um lugar a que possas chamar de teu e sem quem esteja onde só poderias estar. Acredito, agora, que jamais saberás o que significa gostar genuinamente de alguém, sentindo-a, tanto na pele, que não a ter será rasgar-se ao mínimo movimento.

Não te soube roubar de ti. Não consegui que desviasses o olhar do que tanto te assusta e fui-me também eu. Desisti das dores que me irias infligir e voei até quem acabou a receber-me, e foi nele que me aninhei, sentindo um corpo que o meu estranhou, mas permitiu entranhar de forma gradual, sossegando-me de cada vez que me arrepiei, pelo cheiro novo e diferente, mas real.

Não te soube ensinar o que recusaste aprender, talvez porque o meu amor não tivesse bastado, mas sei que um dia também te perguntarás porque me deixaste ir.
QUERO LER O POST COMPLETO

Quando a impotência se instala...

Quando a impotência se instala...

Quando a impotência se instala...

O Perfume:    Os dias sem ninguémpequeníssimos recados escrit...

Tive sempre mais de metade de mim a funcionar em pleno. Soube sempre o que fazer com o que não me era feito e nunca me rendi à pequenez generalizada. Consegui, sem sequer saber muito bem como, contornar obstáculos e continuar em frente. Nunca me deixei levar, não pelo desalento e muito menos pelas dificuldades, mas confesso que o resultado está a ser um desligar gradual e determinado de tudo o que não me basta, nem resolve.

Quando a impotência se instala. Quando e de cada vez que não me consigo movimentar, eu mesma, sem que precisar de alguém seja uma exigência, sinto o frio nas entranhas e torno-me igualmente fria, distante e dura. Todos os meus movimentos passam a ser mecânicos e até o sorriso se torna uma imposição. 

Não estou a ver o mundo com menos cor, mas as que me movem passam a esbater-se e o descrédito junta-se ao meu nome próprio. Não escolhi parar-me, mas parei de me mover em algumas direcções. O meu coração não se cansou, não ainda, mas forçou-me a subir os muros para além da altura regulamentada. Não deixei de ser eu, mas já sou uma mulher muito diferente, menos presa aos outros e muito mais solitária. Não tem que ser mau, nem sequer bom, é apenas uma condição, uma escolha e um estado de alma. 

Quando a impotência se instala, a vontade acompanha-a, e a minha está em níveis demasiado baixos para que me interesse pelo que deixou de ser interessante!
QUERO LER O POST COMPLETO

Quem é que tem casas mal arrumadas?

Quem é que tem casas mal arrumadas?

Quem é que tem casas mal arrumadas?

close-up, eye, eyelashes


Se te resolveres, acabas a conseguir chegar onde sempre te imaginaste!

Por vezes temos bagagem pesada, medos, encontros e desencontros, tudo o que carregamos para relações novas, por isso temos que nos resolver, arrumando as "roupas" nos lugares certos. Temos que ser assertivos e não apenas impulsivos, a treta do deixa-te ir e arroja, é para quem está em começos de vida amorosa, para quem se anda, ainda, a descobrir, não é para os que são maduros e já percorreram caminhos longos e sinuosos. 

Volta e meia mudamos móveis, limpamos gavetas, trocamos quadros, são gestos necessários a que a vida corra com mais cor e menos caos. Nas relações deveremos fazer o mesmo, e apenas iniciar o que tivermos condições de manter, mesmo que não dure, porque do futuro sabemos muito pouco. 

Tanto que assusta, a algumas pessoas, que se saiba o que se quer, quando e de que forma.Tanto que se estranha quem tenha crescido e amadurecido ao ponto de saber dizer não, quando for a única resposta possível.Tanto que se tenta usar e influenciar, não contando com o que já se aprendeu sobre a vida e as pessoas.

Casas mal arrumadas, nessas raramente se encontra o que precisamos, quando precisamos realmente!
QUERO LER O POST COMPLETO

Sorrisos em forma de palavras!

Sorrisos em forma de palavras!

Sorrisos em forma de palavras!

Woman Wearing Black Long Sleeved Shirt Sitting on Green Grass Field Near Mountain Under Cloudy Sky


Sorrisos em forma de palavras!  Seremos sempre mais capazes de aceitar  as palavras que vierem na direcção do que sentimos, as que fizerem eco em cada desejo, ou desespero e as que não colidam demasiado com a vontade que temos de continuar.

Vamos continuar a esbarrar nos que encontram ou reencontram o amor. Nos corajosos. Nos de alma segura e capaz das inevitáveis tormentas. A esperança renova-se nos que são bem-sucedidos. O desencanto perante os que desistem antes de começar, atenua-se. A capacidade de armazenar mais sentimento, amplia-se.

Que bem que sabem os começos e que vontade de voltar a acordar com os sonhos e com a voz de quem se conseguia misturar comigo. Os dias são sempre tão mais luminosos e os problemas quase que se encolhem, porque tudo passa a girar em torno do que sentimos e queremos desesperadamente passar.

Tenho uma inveja saudável de quem carrega boas notícias no que diz respeito ao amor, aquele que é correspondido, mantido e reforçado. Ouço com muita atenção, cada conselho que me sopram os de coração cheio, entendendo que os resultados nunca serão os finais, mas que no fim de cada nova etapa, poderá estar uma ainda melhor.

Os sorrisos em forma de palavras atiçam-nos a vontade de termos cada uma e todas, dirigidas a nós. Quero mais do muito que te faz bem e te deixa assim, mais bonita, mais preparada e menos uma. Gosta de recordar a sensação de pertencer a alguém, de saber do que sei e para quê. Gosto dos que me acordam do marasmo auto-imposto e me abanam os ombros sem tocar, apenas olhando, como só o olhar pode e os sorrisos firmam. Gosto do que tem amanhã, aquele em que ainda conto estar.



QUERO LER O POST COMPLETO

O medo que o medo nos provoca!

O medo que o medo nos provoca!

O medo que o medo nos provoca!

Digital Art Inspiration and Tutorials – The Round Tablet » Untitled Portrait by Lin Ran


Muitas vezes escolhemos o medo, porque ele nos protege de muitas decisões. Torna-se TÃO mais fácil recuar, alegando que temos medo. Medo de sofrer. Medo de reviver males do passado. Medo de ser abandonado. Medo de não ser amado como se precisa...

E viver, onde fica? Vai sempre haver quem prefira não viver, são escolhas!

Vou ser um pouco generalista, não tenham "medo". Os homens por norma nunca sentem medo quando avançam numa relação. UI, que seres corajosos. Nada os demove, nem distâncias, acham até um sacrilégio mencioná-las. O tempo também não, isso resolve-se. Nada é complicado no início. DEPOIS. Pronto, DEPOIS, coitadinhos, já é isto e aquilo, e mais o outro, e a juntar a tudo, o raio do MEDO

As mulheres, essas complicam tudo. Analisam tudo. Medem e pesam até a pluma. Para começarem é um custo, para arrancarem é preciso um requerimento, mas DEPOISDEPOIS ficam prontas e pronto, vão, resolvem, envolvem-se e caminham conforme o chão. Não faz mais sentido assim?

Existem alguns cursos para os medrosos crónicos, eu mesma já tive um medo que quase se tornou um caso de saúde pública, mas superei-o, sozinha, sem recurso a químicos e sem fugir do que me assustava. Não, não tinha medo de homens, esses fazem parte da minha vida. Tinha medo de lugares fechados, mas eis que decidi que o meu medo era uma invenção minha e que me impedia de fazer coisas tão simples como andar de metro. Como sou uma mulher e não um rato, ao invés de fugir, enfrentei.


O medo que o medo nos provoca, tem uma razão de ser e existem sempre escolhas para a forma como queremos viver. Eu escolho ser sempre eu, investindo, mesmo sem garantias, no que me poderá fazer ainda mais feliz do que sou já. Mas isso sou eu, claro!
QUERO LER O POST COMPLETO