Ai esta vontade...

Ooh...makes me think of Vashti, actually. Sultry and scary at once. (Elisabeth Wheatley)


Sinto vontade de manter esta minha vontade de mais. Quero mais ligeireza nas relações. Preciso de menos solenidade nas decisões. Desejo gente simples e natural, sem demasiados esgares rebuscados, porque não tenho paciência para cinzentos. A vida é difícil sim, é um facto, mas adianta andar de cara amarrada? Se adiantasse eu puxava bem a minha e armava-me de mau feitio o dia todo.

Ai esta vontade de saber que os chatos e mal formados implodiram todos e que já não resta um que seja para me atrapalhar os dias. Está bem que vim trabalhar a tolerância, mas sejam igualmente comigo e poupem-me ao que já não consigo engolir dos massacrados da vida. Os indesejados do planeta e os que não conseguem desejar porra alguma. Para alguns, rir já é um exercício impossível, é que de tão pouco treino, acabaram a paralisar os músculos faciais. Agora tenho a certeza que se o tentassem fazer iriam por toda a gente a fugir. Ai que vontade de poder falar da minha vontade, assim, sem tratados nem perguntas fora de contexto. Ai que vontade de apenas ser feliz e não ter que me sentir mal por isso. 

- Não contes de ti e dos teus planos 
- Não mostres demasiado bem estar que te podem agourar.

Irra, chiça e mais umas quantas asneiras que só me atrevo a pensar, não vá cair uma nódoa demasiado grande. Que vontade de soprar com MUITA força e ver derrubadas umas quantas "casas" de má vontade e fatalismo. Por vezes apetecia-me ser o lobo mau e comer logo os 3 porquinhos, orelhas, rabo e tudo... 

0 Comentários