O que preciso de fazer, faço!

by - outubro 11, 2018

Redish


Já não me demoro, demasiado, nas esquinas dos que ainda demoram para aprender. Já não pergunto quando sei a resposta possível, até porque tempo é o que não desperdiço. Já desisti dos que desistem mal o vento mude de direcção, porque para mim ele teria que soprar com rajadas incontroláveis para me impedir de continuar. Já não questiono as escolhas e deixo que escolham em consciência, ou não, escolhendo eu o que me cabe e me responsabiliza. 

O que preciso de fazer, faço, com toda a convicção e esperando que possa ir "esbarrando" nuns quantos igualmente determinados. O que preciso de entender questiono e nunca desisto à primeira vogal, porque vou ter que entender sempre tudo muito bem, para que entendam o que pretendo. O que preciso de fazer, faço, eu mesma, aceitando ajuda obviamente, sempre que necessite, mas não carregando os ombros dos outros com o que me pertence. O que preciso de fazer, faço e espero que seja bem, a melhorar-me a cada novo decidir e recebendo, de mim primeiro, o resultado do que semeei. 

É possível, para todos, ter mais hoje do que ontem e chegar bem mais longe amanhã depois de ter decidido, no agora, o que valerá a pena prolongar. O que preciso de fazer, faço e tal como no amor, no qual me carrego inteira, no desamor também solto, largo e deixo ir... O que preciso de fazer, faço, mal decida que não poderá ser de nenhuma outra forma.


You May Also Like

0 comentários