Sou assim agora...



Prometi-me, já há algum tempo, não passar pela vida sem a sentir verdadeiramente e tenho cumprido. Uso bem mais a contemplação e demoro-me nos lugares que me dão prazer e carregam paz (será este o sinal claro de velhice anunciada?). 

Cuidar-me emocionalmente passou a ser feito com uma gestão apertada, porque só me cabe a mim repor energias ou impedir que me fujam em demasia. Prometi-me sossegar pensamentos e não querer controlar tudo, primeiro porque não consigo, não carrego esse poder e depois porque apenas serviria para me esgotar. Ainda padeço de algumas dores, sobretudo das de mãe, é que já não me cabe regular o mundo e manter a prole segura, agora estão "lá", onde não chego e acabam sempre por decidir sozinhos. Também aqui me prometi desapego, entendendo que lhes forneci as ferramentas que vão usar e que tenho que confiar que o farão de forma acertada. Não sou demasiado ansiosa, mas de alguma forma sinto que me tornei uma grande actriz, mostrando uma segurança e ligeireza que não possuo, mas que sei serem absolutamente necessárias, porque é a mim que recorrem até para as coisas pequenas, mas grandes e às quais trato de tratar com as certezas que nem sempre tenho. 

Prometi-me não esperar demasiado e acreditem que tem resultado, o que quer que chegue vai seguramente ser devidamente apreciado.

0 Comentários