Bottom Ad [Post Page]

Labels

Main Tags

Author Description

Hey there, We are Blossom Themes! We are trying to provide you the new way to look and use the blogger templates. Our designers are working hard and pushing the boundaries of possibilities to widen the horizon of the regular templates and provide high quality blogger templates to all hardworking bloggers!

Post Page Advertisement [Top]

Avançar para o conteúdo principal

Estás Aqui!




Estava ainda a tempo para a reunião, mas os minutos teimavam em correr à mesma velocidade que eu. Deslocara-me a Lisboa de comboio e apanhara o metro onde a Rute me esperava à saída da estação do Rato. Odeio não cumprir horários e assim que me sentei no carro, respirei fundo e relaxei por segundos olhando pela janela tantas outras pessoas de passos apressados, estranhos, corpos sem rosto!

- Podes ficar tranquila que ainda teremos tempo para um café. Estou ansiosa por te ter como colega de trabalho e de casa, isso é que vai ser farrar e tagarelar até altas horas da noite.

Largou-me uma gargalhada sonora e fez-me sorrir perante os momentos que antecipava de puro prazer e partilha. Já somos amigas faz mais de 10 anos e partilhámos sempre tudo nas nossas vidas. Quando o Rui partiu, após as minhas recusas repetidas em o seguir para Londres, foi a Rute que me deu colo e me segurou as mãos enquanto chorava de arrependimento. Deveria tê-lo seguido até aos confins do mundo, mas julguei-me forte e determinada o suficiente para trilhar o meu percurso sozinha, no entanto bastou uma semana para que percebesse que nada voltaria a ser como antes e que tudo deixara de fazer sentido sem a sua presença. Se arrependimento matasse...

Fazemos contas, pesamos medimos, mas esquecemos sempre de ouvir o coração, é na verdade ele quem comanda tudo e se não estiver satisfeito, corrói-nos, mata-nos, seca-nos!

- PÁRA RUTE!!

Gritei tão alto que até eu me assustei. Quase que a fiz provocar um acidente perante o tom desesperado da minha voz. Não me lembro sequer de ter aberto a porta do carro, mas sei que o reconheci na multidão que passava sem rosto. Reconheci-lhe o caminhar, os ombros largos, os cabelos loiros como o sol. Tudo nele era diferente e familiar. Era o homem que já tivera e que sabia hoje amar mais do que a mim mesma.

- RUIIIIII!!

Não sei se algum som chegou sequer a sair da minha boca, mas ele voltou-se, olhou-me, viu-me e um segundo depois estava nos seus braços que me apertaram até me deixar sem ar.

- Desculpa, desculpa meu amor, perdoa-me por favor. Não sei viver sem ti, não quero, preciso de ti, a vida assim...

Calou-me esmagando-me os lábios com os seus. O meu corpo estremeceu e senti as pernas falharem-me. Levantou-me no colo e sorriu-me compreensivo. Ele sabia, sentia e estava aqui, jamais lhe voltaria a recusar-me,  precisava do ar que respirava para que fosse também o meu. Não queria ser mulher pela metade, queria-o a ele, todo, sempre!

Comentários