Bottom Ad [Post Page]

Labels

Main Tags

Author Description

Hey there, We are Blossom Themes! We are trying to provide you the new way to look and use the blogger templates. Our designers are working hard and pushing the boundaries of possibilities to widen the horizon of the regular templates and provide high quality blogger templates to all hardworking bloggers!

Post Page Advertisement [Top]

Avançar para o conteúdo principal

Tudo o que sentimos é real!

Crying doesn't fix anything, so bandage it up, dust yourself off and crawl back fighting.-Me ☺:


As emoções que nos ameaçam rasgar por dentro são sempre reais, quanto real for o motivo! CLARO que nós as mulheres, seres de mente fértil, somos por vezes.capazes de imaginar o inimaginável, mas por norma, quando sentimos o coração a bater mais forte e até pesado, então algo se passa.

Tudo o que sentimos é real, mas o motivo poderá não o ser e as dores que nos infligimos nem sempre têm fundamento, poderão apenas ser um espelho dos nossos medos e os medos são fabricados, não existem, não como existimos nós.

Temos que aprender a aligeirar, a deixar seguir, e a não inventar. Temos que aceitar que não controlamos tudo, e que os dias seguirão mesmo que os queiramos parar.
Temos que continuar a desejar, a teimar e a levar por diante as vontades que arriscámos construir. Temos que permitir que os outros nos conduzam, às vezes (esta é inteirinha para mim) porque nem sempre sabemos como.

A realidade será o que fizermos dela, para o bem e para o mal. A solução passará então por analisarmos, cuidadosamente, o que estamos a sentir, e na dúvida, perguntarmos a quem possa realmente responder.

Senti-te ontem. Senti o teu olhar triste, senti o esforço para te manteres comigo. Senti o que sentias, enquanto me imaginavas. Senti que precisavas ainda mais de mim e tentei,  juro que tentei estar, mas não sei se me sentiste, não sei se ajudei, não sei se TODO o meu amor te bastou. Não sei e dói-me não saber.

Sei que quando me sinto estranha, que quando as minhas entranhas se revolvem, os sinais mudam de tom, mas vou começando a partilhar as partes de mim, as que me deixam encolhida e pequena. Sei, porque me conheço!

Comentários