28.5.16

Já alguma vez amaste demasiado?

black-and-white, color splash, fountain pen


alguma vez amaste muito, demasiado, sem retorno e com mais dor e desalento associado, do que com sabores que nos permitem mesmo saborear? Já te fizeram sentir o pior dos seres, quando e enquanto sentias ter encontrado quem precisavas? Já te impediram de dormir e de sonhar sonhos que a alma reproduz de cada vez que o coração ama?


Todos nós, em algum ponto das nossas vidas achamos ter chegado até ao "tal", reconhecendo-o, mesmo que em primeiro lugar. Todos nós já fomos amados e não correspondemos, não quisemos ver o óbvio e apenas continuámos em frente à espera do próximo, na esquina seguinte. Todos nós já estivemos onde era suposto, achando que amávamos e éramos amados na proporção certa. todos nós procurámos pelas palavras que nunca chegaram.

Já alguma vez amaste demasiado? Sim, já. Já amei alguém, TANTO que fiquei sem saber usar as palavras certas, e por vezes até me permiti usar as erradas, dizendo o que nos magoou a ambos. Já tive, vezes de mais, necessidade de ser a estrela, a única e de embelezar o centro, não pelo que aparento, não decididamente, nem sequer pelo meu exterior, mas por tudo que acabo a desejar da outra metade de mim. Já percebi que todos, sem excepção, têm importância e merecem um lugar diferente dos outros, porque será apenas o seu. Já percebi que o mundo é um lugar ENORME, no qual cabemos TODOS e podemos, TODOS ter aquilo para o qual fomos feitos. Já aprendi a aplaudir mais e a abraçar quem só me poderá abraçar de volta, cuidando-me porque cuido e ouvindo-me porque sei escutar.

Já alguma vez amaste demasiado e não foste amada de igual forma? Sem qualquer dúvida, mas não gostei do sabor!

Sem comentários:

Enviar um comentário

A cada toque ficamos mais próximos!

Vou sabendo, cada dia mais, que a tua mão está determinada na minha. Vou sabendo, até quando os outros falam mais alto, por cima do que ...