"“Depressão é quando você não consegue sentir nada. Ansiedade é quando você sente tudo demais. Sentir os dois é uma guerra constante dentro da sua mente. Sentir os dois significa nunca ganhar”.

É o teu suspirar, o mover de cabeça e a forma como afastas o cabelo que me colocam um sorriso nos lábios. Reconheço-te de muito antes e por isso sei que já te tive, algures, num tempo que se perdeu tal como o fizemos nós. Não sei de que forma te perdi. Não entendo como poderia ter-te arrancado, se não pela morte. Não sei por onde andaste, mas sei que agora estás aqui, outra vez!

Preciso de ti agora e da força com que olhas tudo o que olhamos. Preciso de que me lembres que não sou apenas eu e que já não estou sozinha. Preciso do teu colo e olhar conciliador, envoltos nas certezas que a tua voz me passa, porque de cada vez que te oiço, estou a ouvir o meu coração falar. Preciso de ti agora e não te vou perder, não desta vez, não para que o tempo deixe de correr e apenas me arraste, insegura, até que voltes. Preciso de saber que precisas de mim e por isso mesmo vais continuar a procurar-me, se as nossas mãos se soltarem. Preciso de parar de ter medo, adormecendo com a certeza de que ao acordar estarás e ficarás.

Preciso de ti, mas agora sei que virás sempre que te chamar!

0 Comentários