O coração tem memória só para que saibas. Ele lembra-se de tudo o que o fez bater, de quem o deixou sem vontade de muito mais, achando até que o ar não lhe faria falta. O coração, esse poderoso músculo que te condiciona, mas impulsiona para tudo na vida, tem uma memória poderosa e já sabemos todos o poder do amor. O coração carrega a maior função desta e de outras vidas, amar para que possamos permanecer, resistindo até às mais duras batalhas. Ele guarda, religiosamente, a felicidade que lhe fez o sangue circular com mais velocidade. Sabe replicar cada segundo no qual nada mais importava, nem mesmo o sol, porque segurou a temperatura que o aqueceu quando e enquanto o desamor dos outros o perseguiu. O coração tem memória e é por isso mesmo que se recusa a abandonar o que o alimenta.
O cérebro relativiza e usa de pragmatismo para analisar o que não te serve, mas vai-te servir de muito pouco enquanto o coração se lembrar do que apenas faz os dias começaram no ritmo certo, terminando para que mais outro chegue e possa voltar a sentir. Quando te dizem que apenas um amor apaga outro, a certeza está em quem sabe que uma vez amando, mesmo que sem retorno, para sempre amando até que amar tenha outro sabor e rosto.
Caso não o saibas já, digo-te que o coração tem memória, por isso mantém os que partiram e todos quantos não souberam ficar porque assim o escolheram. É a sua memória gigante que nos impede de cair no esquecimento quando nos perdemos de nós, deixando ir quem fomos e quem temos por aqui ainda a amar-nos. O coração sabe até ao que te soube aquele copo de vinho que te molhou os lábios que beijaram com tanta entrega. O coração tem memória de quem te fez sentir o centro do mundo, a pessoa mais importante e maior. O coração tem memória das borboletas na barriga e das risadas nervosas.
O coração tem memória e recusa-se a abandonar o que o permite continuar a bater..

0 Comentários