Tudo o que já quis para o "Natal" foi a ti!
Não foi assim por me faltar o que querer, mas porque sentia já ter tudo o resto e só me faltava o que até me soava a certo. Queria, muito, que pudesses estar em cada Natal, um após o outro, para que construíssemos novas memórias e as vivêssemos juntos. Queria poder recomeçar e deixar para trás amores falhados. Queria arrumar o ontem para sempre e ter-te em muitos amanhã, tantos quantos o tempo nos permitisse. Queria amar com tranquilidade e certezas, sentindo que fazíamos sentido juntos. Queria o que afinal não podia receber, mas continuei a desejá-lo...
Tudo o que passei a escrever ao Pai Natal, uma e outra vez, logo que entrei na vida dita adulta, foi que me presenteasse com uma parte inteira, pronta e determinada, mas ou ele não chega a ler as minhas cartas porque as carimba - com um "FORA DE VALIDADE" , ou anda deveras distraído. Ou pior ainda, entende que já tenho o que me basta.
Tudo o que já pedi para o Natal foi que me soubesses amar o suficiente para me quereres ter e não apenas 2 dias por ano. Mas tudo o que passei a pedir foi serenidade suficiente para ser capaz de receber quem eventualmente consiga chegar.

1 Comentários