Gosto tanto deste sabor indefinível de algo mais que não pretendo explicar. Sabe tão bem ir sabendo aos poucos de tudo aquilo de que venho cuidando, porque carrega resultados verdadeiramente práticos. Percebo do dar e receber, mas também de algumas impossibilidades naturais que não controlo. Escolho com muito mais determinação porque estou determinadamente à espera do que me cabe. Gosto tanto de poder gostar livremente, de pessoas, coisas e lugares. Gosto de ti que me movimentas os dias e também de ti que me desafias a melhorar. Gosto até do peso que carrego quando nada parece correr de feição, mas gosto bem mais de me ver andar por onde já escolhi. Gosto de gostar, é um facto, mas também gosto de decidir que simplesmente deixarei de gostar, porque me confere liberdade e discernimento.

0 Comentários