NADA de desculpas, nem mesmo para o insucesso. Temos o que somos capazes de fazer e chegamos onde nos propomos, até quando tudo parece demorar uma eternidade. Os "ses" e os "mas" são as muletas emocionais, as que nos parecem livrar de responsabilidades maiores, mas quando os usamos em demasia, retiramo-nos poder. NADA de encontrar nos outros a razão para a nossa recusa em fazer diferente e em sermos diferenciadores, porque quando queremos mesmo, arranjamos forma. NADA de aceitar o NADA que se instala quando recolhemos as mãos, apenas nós podemos movimentar o nosso mundo, um dia de cada vez e sempre com o mesmo foco e perseverança. NADA de correr na direcção contrária assim que o percurso se tornar demasiado sinuoso, por vezes é forçoso irmos por "ali" e mesmo que tenhamos que voltar atrás e recomeçar, precisamos de pelo menos experimentar o que visualizámos. NADA de apontar o dedo na direcção oposta a nós, por esta altura já todos deveríamos saber que apenas nos fazem o que permitimos!

2 Comentários