Onde é que ficam os planos?

25.3.20



Onde é que ficam os planos? Para onde é que me dirijo depois deste tsunami colectivo? Quem é que sou afinal e de que forma reajo ao que me aconteceu? Que poder carrego?
Que não controlamos nada, penso que já todos o percebemos, mas por vezes a enxurrada de eventos supera qualquer capacidade de reacção e superação. Se tudo acontece por alguma razão, espero sinceramente que encontremos, cada um de nós, a nossa, a que nos permitirá mudar hábitos e direcções. Estamos ávidos da tal normalidade que tanto nos incomodava. Queremos poder protestar com as rotinas, os patrões irrascíveis e os colegas "matadores de tempo". Queremos sentir que os fins-de-semana não nos permitem sentir o suficiente e simplesmente usar de cada minuto como se fossem dias completos. Queremos poder sorrir aos outros, perto, abraçando sem medos e não nos poupando ao que até aqui parecia tão pouco importante. Queremos ter poder, de decidir, de escolher; de ser e de usar o que já era nosso, a liberdade.
Para onde vamos quando sairmos "daqui"? O que estamos a aprender com o ruído real? Quem de nós saberá o que fazer depois?

Publicar um comentário

Feel Me © . Design by Berenica Designs.