17.3.20

Temos estado aqui e sem sentirmos qualquer falta do mundo!



Se te dissesse tudo o que me cruza a mente agora. Se pusesse em palavras tudo o que ainda sinto por ti. Se soubesses do que sei sobre mim, talvez até te assustasses e corresses na direcção contrária. Se te assegurasse de que conseguiria viver bem sem ti, mas que ainda assim prefiro ter-te por perto, tão perto quanto nos colocou a vida...
Estive a olhar-te enquanto falávamos, agora sobra-nos tempo para as coisas mais pequenas e gostei de recordar cada ruga e todos os sinais que te embelezam a face que já não beijo como antes. Estive mais atenta aos teus movimentos, aos esgares e levantar de sobrolho sempre que estás preocupado. Estive a um dedo de me atirar ao teu pescoço para te repetir o que a rotina tem calado, mas senti medo de te deixar com medo de mim, achando que estaria a enlouquecer com tanto recolhimento.
Temos feito amor com mais entrega e sem olhares de soslaio para o matador de prazer, o relógio. Temo-nos enrolado na cama, no sofá e até na carpete da sala, para grande felicidade do nosso amigo de quatro patas. Temos visto o nosso mundo por uma outra perspectiva, perspectivando que sairemos vencedores de mais uma provação. Temos recordado as etapas de cada um dos nossos filhotes e rido das primeiras palavras proferidas em inúmeras tentativas. Temos pensado na nossa incapacidade de os proteger e da inevitabilidade de estarem longe do que sempre será o seu refúgio. Temo-nos abraçado mais e usado os silêncios para nos ouvirmos respirar. Temo-nos desdobrado em cuidados, cuidando de quem representa o chão que por vezes ameaça fugir.
Estive a contar-te alguns dos meus segredos, não te ris-te, sorriste perante a minha capacidade de os manter e asseguraste-me do teu respeito pela persistência, afinal de contas um dos meus sonhos ainda nos acompanha. Estive atenta às respostas que deste a cada uma das perguntas que fui guardando e reconheci-te em cada uma.
Temos estado aqui, recolhidos, mas completamente entregues à nossa maior função, amarmo-nos nos bons e nos maus momentos, apoiando-nos no que sabe cada um para sermos ambos mais fortes. Temos estado aqui e sem sentirmos qualquer falta do mundo!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Sozinha outra vez!

Sozinha outra vez , naturalmente, sem demasiados embaraços ou sequer dúvidas. Sozinha como terei começado um dia, mas nunca mais só, ...