Porque razão ignoramos a razão?



Porque razão precisamos de caminhar tanto, na maioria das vezes, até sabermos que chão estávamos verdadeiramente a pisar? Porque não pode tudo ser mais claro, rapidamente, ao invés de lento, escuro e inseguro, até que a segurança nos invada de volta?


Quando escolhemos manter as dúvidas, alimentando-as religiosamente, a clareza afasta-se, como que a dar-nos tempo reavaliarmos. Quando precisamos de nos testar até ao limite, acabamos por limitar alguns dos avanços tão duramente conquistados. Quando não nos respondemos de imediato, suspendemos as questões, mas apenas para as enfrentar depois, porque não há como fugir à realidade, nem à nossa essência.

Porque razão escolhemos ignorar a razão e entregamos os sentimentos e as emoções nas mãos erradas?

Publicar um comentário

0 Comentários