Viagens ...



Viagens de volta. Lugares que já não nos servem, mas que serviram para que os percorrêssemos. Momentos que nos falam do certo e do errado e é-o sempre quando já não nos permitimos amar. Desculpas que nunca desculparão a incapacidade de seguir em frente, mesmo que os erros tenham existido, porque a verdade é que sem eles não estaríamos "aqui". Passagens mais ou menos seguras, mas ainda assim atribuladas o bastante para nos recordarem de que viver é isto e pode ser ainda mais. Jogos que por vezes perdemos, mas que passamos a dominar com a mestria de quem está verdadeiramente atento. 

Viagens de ida, mas a poder regressar, mais inteiro e seguro. Viagens que não devemos adiar porque já nos está no GPS da alma. Viagens nas quais deixamos de ser apenas nós e que nos tirarão dos silêncios que já não nos falam, até porque nos dissemos tudo, algures num tempo e momento em que não acreditávamos. Viagens, porque viajar livremente em sonhos e desejos que ninguém deveria poder reter, livram-nos de querer menos do que temos agora. Tenho umas quantas viagens para lamentar, mas estou determinada a mais uma porque nesta sei que estarás à minha espera. Vou arranjar forma de acertar com o teu formato e em cada pequena viagem contigo levarei para além de mim, tudo o que reservei para o homem certo. Tenho umas quantas rotas para redefinir, mas já me sinto capaz de voltar a acreditar nesta viagem, esperando, com TODA a determinação, que não precise de fazer mais nenhuma.

Publicar um comentário

0 Comentários