Views

Archive

Etiquetas

Facebook

Avançar para o conteúdo principal

Ser mulher é mesmo difícil?



Tomamos tudo por garantido agora, achando que o que temos, mesmo que nos pareça pouco, foi sempre assim, mas a verdade é que o mundo galgou enormes barreiras de lá até então.

Nunca foi fácil ser mulher, não o é ainda e certamente que assim se manterá por muitas mais décadas, mas sabemos todos que já foi BEM mais difícil. Ser-se mulher nas mais diversas áreas, obrigava a cedências, a esconderijos forçados e a constantes anonimatos. Ser-se autora, por si só, não permitia notoriedade, as mulheres eram forçadas a usar pseudónimos e raramente lhes era atribuído qualquer crédito. Enquanto via um filme sobre a vida de Mary Shelley, a autora de "Frankenstein", senti-me o ser mais livre e pleno de benefícios de sempre. Hoje, e ainda que seja chamada de sexo fraco, mas que de fraca não tenho NADA, sei que tenho voz, posso fazer escolhas e lutar, sem armas mortíferas, pelos direitos que ainda pretendo ver melhorados, sendo ouvida e vista.

Andar por aqui já foi tão duro e desconsiderado. As mulheres podiam apenas sê-lo, se fossem a mulher de alguém, uma fazedora de criaturas, organizando e mantendo todos à sua volta felizes, exceto a si mesmas. Ninguém se importava com as dores e nada de importante ou relevante poderia sair das cabeças que apenas se desejavam bem arranjadas. 

Quando é que se tornou mais fácil e natural ser do género feminino? Em que momento se passou a poder almejar a mais e a não ter que dizer apenas o que soava a certo, mas sendo erradamente arrojada, cometendo erros, mas melhorando-os a cada etapa? Como foi que se sentiu a primeira mulher que pôde dizer "eu quero assim"?

Por quanto mais tempo vamos continuar a tomar TUDO por garantido, deixando de olhar para os degraus que nos puseram tão alto quanto fomos capazes de sonhar?

Comentários