Venham de lá as pessoas, os lugares e os momentos que nos acrescentam, porque as metades não completam e deixam apenas sabores pequenos! 

Que chegue o tempo de se passar a usufruir de todo o tempo que ainda nos resta, com tudo o que somos e temos. Que se largue o que não importa e se consiga olhar com atenção para quem há muito nos olha, deixando seguir o que apenas nos segura e impede de continuar a crescer. Que se sinta cada vez mais amor por cada uma das pessoas que já aprendeu a amar-nos de volta. Que se pare de parar de cada vez que seja MESMO bom.

Já não olho para a quantidade que enche o copo e que por vezes terá que o deixar a meio. Já sei distinguir o pouco do muito e o espaço que sobra para que o preencha de mais pedaços de mim, porque enquanto me sentir inteira e de bem comigo, sei que me passarei da forma que faz falta aos meus. Já não olho para trás, mesmo que ainda espreite alguns dos momentos que me trouxeram até aqui e já não me demoro onde não me sentir em casa. Já não cobro nada ao mundo, porque recebi exactamente o que pedi, se me expliquei mal, apenas terei que me reorganizar.

Venham de lá as pessoas que estiverem na mesma sintonia e que se vão todas a quem ainda precisar de me explicar.