Fica-me por vezes esta sensação profunda da responsabilidade que tenho para com os meus. Num mundo onde tudo pode simplesmente correr mal, será que estarei à altura de os defender, de cuidar e preparar?

Hoje, após uma sessão maravilhosa de cinema em casa, onde os 4 usufruímos da companhia de todos e durante a qual me deparei com o medo interior de ser eu a cuidadora, senti que gostava de os conseguir ensinar a entender porque razão o meu tempo corre sempre na sua direcção, que preciso que também eles desenvolvam o sentimento de cuidado uns pelos outros, que entendam a importância de nos conhecermos bem, de sabermos das nossas rotinas e da forma como cada um pensa e sente, pois isso será certamente valioso no futuro.

Não é de todo descabido, porque longe vão os dias da segurança, de nos conhecermos todos e de sabermos de todos. Os meus sentidos hoje ficaram em alerta, bem como o desejo de estar mais capaz de os proteger e de nos proteger. Estou a olhar para cada um agora e a pensar no quanto tudo poderia mudar se alguém se atrevesse a fazer-lhes mal. Não tenho como deixar de sentir muito medo, sobretudo pela minha transformação interior e nem vos quero dizer o que seria capaz de fazer, porque tenho medo de o repetir!


3 Comentários

  1. olá apesar de parecer ausente ,tenho lido tudo o que escreves e este aqui apesar de ter prometido a mim mesmo não fazer comentários tenho que fazer .(nada como proteger os nossos) pois eles serão o nosso futuro, ter medo,receio é natural afinal serão o nosso prolongamento outra vez no futuro, mas um bom filme com pipocas será sempre bom e qui ça uma dança ,que já reparei que tanto gostas

    ResponderEliminar
  2. Obrigada ao leitor fiel! Se os meus posts servirem de alguma coisa, só que seja de reflexão, já me sinto feliz. Tudo de bom...

    ResponderEliminar
  3. sem duvida que servem de muita reflexão.... faltam as dunas..........

    ResponderEliminar