Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de 2021

Que chegue 2022!

Mais um ano. Mais 365 possibilidades que tive de ser e de fazer diferente e por isso mesmo aproveitei BEM tudo o que me chegou e também o que fiz por acontecer! Sou uma mãe ainda mais completa, porque tendo recebido o apoio incondicional da minha prole. Senti o cuidado e o suporte nas decisões saudáveis, quando me forneceram as ferramentas técnicas que o possibilitaram. Foi neste ano de 2021 que verifiquei o que sabem, e que já é muito, e a serenidade com que levam a vida, que para eles, tal como para todos nós, se revelou bem desafiadora, mas que destapou e tornou visível as suas capacidades e crescimento emocional. O confinamento permitiu-me avaliar o que fizera antes e reavaliar as decisões que tive que tomar para que 2022 possa ser diferente e melhor. Ao mudar, tudo mudou à minha volta e ainda só estou no início. Este ano que hoje termina, também representa para mim um fim de ciclo, numerologicamente falando, por mais esse motivo decidi reajustar tudo o que o ano 1 me trará e sei

O que podes mesmo fazer para mudar?

Não existe somente uma coisa que possas fazer . Não passa apenas por algo que tenhas que mudar. Não te podes deixar convencer por uma única pessoa, porque a soma de muitas, de todas quantas contigo se cruzarem, é que te levarão à verdadeira mudança, a que começa e termina dentro. Tudo o que o ouves, lês e colocas em prática, permite-te praticar com mais afinco, vendo que os resultados se tornam reais. O crescimento, tal como a vida, não acontece por um passe de mágica, ao invés segue um roteiro e apoia-se nos tempos que precisam de ser contados. O que podes mesmo fazer para mudar ? Primeiro que tudo querer, querer muito e com tanta entrega aos dias que virão, alguns bem difíceis, que depois os passos seguintes tornar-se-ão naturais, possíveis e vislumbráveis. O que podes fazer para arredar, de vez, os constantes ciclos de tentativas, passando verdadeiramente à acção? Voltamos ao querer, e à possibilidade de te veres do lado de fora, parando de embelezar o que já se tornou "feio&qu

Saber como ver o meu mundo!

Sue Amado´s photo Nunca me canso de olhar e ver, MESMO , o mundo que me rodeia enquanto o coração bate mais forte pela velocidade que imponho na corrida. Nunca me canso de dizer que sou um ser abençoado!

Que mentiras te contas diariamente?

Que mentiras nos contamos diariamente , sobretudo em pensamento, porque vocalizar o que carregamos nem sempre é fácil? Dizem os especialistas que somos generosos a criar ou a recriar histórias pessoais, acreditando piamente que aconteceram de uma determinada forma, em detrimento da realidade. Talvez o façamos por defesa, encobrindo o que não gostaríamos que nos estivesse colado, ou simplesmente porque o passado se torna tão distante que se esfuma e nos ilude. Somos mentiras quando nos tentamos iludir em primeiro lugar e depois levamos os outros a criarem de nós a imagem que na verdade não temos. Somos mentiras, mais ou menos generosas, quando hasteamos bandeiras que não nos pertencem, nem sequer pelas causas. Somos enormes mentiras quando fingimos que o amor que nos dizem ter nos basta e depois terminamos cada dia ainda mais vazios do que no anterior. Dizem que a verdade dói, mas viver embrulhado em mentiras, mesmo que com laços de cetim, é que nos cria feridas que não saram.

Nature at its best!

Sue Amado´s photo Hoje ao caminhar tive este presente da natureza, durou pouco, mas soube a muito!

Se o amor não é isto, não sei o que será!

Começámos, terminámos, tivemos o melhor de nós e depois permitimos que se intrometessem no que seria a nossa vida juntos e acabámos separados! Graças a Deus e à nossa razoabilidade, não ficámos marcados, doloridos, ou sequer afastados, hoje somos capazes de falar do ontem, com uma pontinha de pena, mas sem estarmos demasiado presos ao que deixámos de poder mudar. Como é que seríamos num futuro tantas vezes sonhado e desenhado a lápis, de forma a podermos incluir alterações? Será que já nos teríamos reafirmado com outros, ao invés de estarmos numa demanda infindável de relações que nunca parecem dar certo? Seguramente que as saídas quinzenais para nos chorarmos de mais uns quantos "amores" falhados, teriam há muito terminado. Somos um par de amigos improváveis e curiosamente contamo-nos tudo sem qualquer embaraço.  Começámos numa terra que nos dizia pouco e onde a solidão ameaçava instalar-se, mas depressa revertemos o que jamais poderíamos ter imaginado como sendo o curso pos

A maturidade é uma benção!

A maturidade é uma benção! Deus me livre e guarde de voltar a ser a mulher do passado, aquela que pesava e media tudo até à exaustão e que exigia dos outros as certezas que nem ela poderia ter. A maturidade fez-me aceitar e agradecer o lugar de onde vim e as pessoas responsáveis pelo processo, porque a verdade é que sem o exemplo que passaram, nunca chegaria a firmar o que NÃO quero de todo ser e o que até estarei na disposição de repetir. A maturidade deixou-me mais tranquila e disponível, mas ao mesmo tempo, TOTALMENTE , indisponível para a maldade, perversidade e tacanhez. Ser madura sossegou-me, impedindo-me de viver à pressa, esperando sempre pelo que ainda não tinha. Só depois de perceber o quão madura me tornara, fui capaz de reverter escolhas erradas, focando-me em mim, física e emocionalmente. Voltei a ter o corpo dos vinte, mas com upgrades e passei a gostar bem mais dos curvas que me destacam. Ser low profile era apenas uma tentativa de passar rapidamente sem ser avaliada

O que é mais forte do que uma amizade sincera?

E de repente, do nada, ou talvez do tudo que já vimos a viver e a acumular, percebemos que somos o suficiente, mesmo que nunca o sejamos completamente! Se a vida é feita de escolhas, escolho ser a minha melhor versão, mesmo que sozinha e curiosamente a palavra deixou de me assustar. Estou a falar do campo amoroso, porque no que a amizade diz respeito, quero muito e a cada dia mais, ter por perto quem saiba de mim o suficiente para não me julgar. Desejo, vigorosamente, pessoas resolvidas, mesmo que com algumas pontas soltas, porque as teremos todos. Sonho com o dia, em que já mais velha, terei com quem partilhar histórias cujos inícios conheceram e para cujos finais estiveram disponíveis, velando-me as dores. O que é mais forte do que uma amizade sincera? Que valor tem a possibilidade de sermos aceites por nós, com todos os defeitos e qualidades e sem julgamentos sumários? Quanto não valerá um ouvido pronto e sem pressas e olhares que nos assegurem de que somos mais do que seres humano

O primeiro dia de inverno chegou!

  Sue Amado´s photo O inverno é apenas mais uma estação e não tem que quebrar ou adiar nada do que se pretenda fazer!

E quando a luz se apaga?

Olho para os teus olhos e percebo que a luz se apagou. Já não me vês e também já não partilhas dos mesmos sonhos. Olho e tento ver para onde fomos ambos bem como o amor que nos juntou, mas não encontro qualquer resposta. Então é isto que acontece quando a chama se esfuma. Passamos a navegar nas mesmas águas, mas um vai e o outro vem de volta, focado numa margem diferente. Então é assim que se passa a sentir a solidão estando acompanhado. Deixamos de produzir e procurar momentos a dois, agora corremos para a multidão que nos esconde de nós e impede de nos olhar-mos, como estou a fazer agora, desesperadamente à procura de algo que me diga que ainda vale a pena, mas nos teus apenas o vazio. Focámo-nos nos nossos e nas responsabilidades, mas deixámos de lado a criança que deveria ter sido mantida viva. Deixámos de nos segurar na nossa "ilha" e fomos invadidos pelo comum, sobrepondo-o ao que é importante. Afastámo-nos, sem demasiada programação, mas programando o fim inevitável. A

The woman who writes!

 

Estamos incrivelmente mais sós e solitários!

Segundo parece, estamos cada vez mais sós nesta multidão de gente que vai e que vem sem nunca sequer olhar duas vezes. É o que vemos noticiado em todo o lado e também ouvimos de pessoas mais ou menos próximas. De repente desatámos a querer que nos cuidem em todos os percursos, mas escolhemos não cuidar de ninguém. Dá trabalho, é um facto, mas um dia poderá também tocar-nos de forma violenta e depois? A solidão emocional é bem pesada e diminui até os seres mais fortes. Já a física, como a que nos forçaram, restringe as necessidades básicas de colo, de abraços sentidos e do calor que mais nada consegue. Estar só por escolha é restaurador e benéfico a muitos níveis, mas a que nos é imposta por desamor, torna-nos menos capazes de superar as intempéries da vida. O que estás a fazer da tua solidão? O que conseguiste aprender com a privação de amor, da tua e da dos que supostamente seriam as tuas pessoas? O que deixaste danificar de ti e do que te rodeia, porque nada andará apenas á tua vol

Olho por olho e dente por dente!

"No olho por olho e dente por dente, o mundo poderá acabar cego e sem dentes" - Mahatma Gandhi Andar em lutas constantes só serve para nos fazer escorrer as energias, e no final acabamos da mesma forma, cada um com as suas ideias e todos em pontos opostos da vida que se quer suave, nobre e viável. Já não dou para esse peditório e deverias fazer o mesmo. Recolhe-te e usa o silêncio para te reestruturares. Quem te disse que precisavas de ter sempre uma opinião? Aceita que por vezes nada sabes e que por isso te deverás focar no teu quadrado, permitindo que cada um tenha o seu. A tolerância parece cada vez mais distante. Os dedos apontados, as trocas de informações desinformadas, a falta de empatia e a incapacidade de nos colocarmos no lugar do outro, está a devastar-nos bem mais do que o vírus.  Se não te serve, segue em frente, não pises e repises, não ataques para te servir de defesa, ao invés protege-te da incapacidade de verem para além do óbvio. Cada pessoa tem a sua forma

Quem é o meu homem certo?

Será que me é permitido escolher ou definir o homem que considero certo para mim? Claro que tudo o que a mim me diz respeito me é permitido, e pretender ter alguém, preferencialmente para sempre, é não só legítimo, como desejável. Assim sendo, ou é alguém que me acrescenta e move, estimulando-me, ao invés de me abanar e deixar com os pelos eriçados em sítios que nem sabia ter, ou não o é de todo. Por esta altura do campeonato, com a minha idade, percurso e aprendizagens, já sei, com TODA a certeza, que tipo de homem NUNCA poderei aceitar. Sou uma mulher de palavras, de pensamentos rápidos e práticos e NADA lamechas. Sei relativizar, analisar e permitir fraquezas, desde que as mesmas não sejam tatuagens que nem com laser se apagam. Posto isto, de que forma poderei aceitar quem não saiba juntar umas palavrinhas que formem uma frase com sentido? Para onde levaria quem ainda não soubesse o que faz aqui e do que me adiantaria ter quem não usasse as emoções, com a desculpa de poder ser us

Tenho uma voz distinta, minha!

Sei que nem sempre me enquadro, talvez por ter conquistado uma voz algo diferente , mais minha, mas que por me definir, total faz-me sentido. Não ando só porque a estrada existe e não falo para ser notada, prefiro que me ouçam. Quando nos sentimos bem na nossa pele e vemos, diariamente, melhorias, conseguindo fortalecer a mente, cola-se a ideia de super poder que inevitavelmente nos torna mais fortes. Sei que nem sempre me enquadro no que parece ser expectável, sobretudo duma mulher, mas entendi que me cabe a mim, em primeiro lugar, saber quem sou, para então depois reconhecer  os que aceito que o sejam comigo. Ter uma voz distinta permite-me manter intacta as conversas com as quais me envolvo e apenas dessa forma poderão chegar, com alguma substância, aos que me ouvem, de contrário seria apenas mais uma.

Já aprendi a viver no momento!

Viver o momento, bem mais fácil pensar do que fazer, mas com calma e determinação será tão possível quanto acordar e recomeçar. Todos os dias são dias novos e é em cada um que nos é dada a possibilidade de fazer diferente e melhor.  Já deixei de lado os inúmeros "nunca" que atirei para o universo e que me foram devolvidos com uma enorme chapada de nome realidade. Somos capazes de tudo aquilo a que nos propusermos e este ano, por sinal o meu ano NOVE , que na numerologia significa um ano de fecho de ciclo, decidi arrumar tranquilamente o que NÃO pretendo levar para o meu ano UM . Agora dou comigo a sentir de forma mais intensa, mas a relevar e a desprezar, tranquilamente, o que não me acrescenta. O tempo passou a correr tão mais veloz do que consigo com ambos os pés, que o meu respeito por ele é indubitavelmente maior. Tanto que ainda pretendo ser e fazer. Tantas viagens físicas e emocionais a preparar. Tanto amor para compartilhar com os que me conseguem amar de volta, mas t

Decidi que não quero passar pela tua perda!

Decidi que não quero passar pela tua perda . Não me sinto capaz de parar de sentir o teu cheiro, de já não ter os teus olhos pousados em mim e de nunca mais ouvir o som da tua voz. Foi com ela que me conquistaste, o teu timbre fez mover tudo o que tinha dentro e teve o poder de me arrancar um arrepio bom. Não quero passar pela tua perda, recuso-me a ter que cuidar de tudo o que é suposto quando a viagem termina. Não conheço assim tao bem as minhas forças, não dessa forma, por isso não me apetece testá-las.  Decidi que os finais não compensam a viagem , talvez porque esteja apenas a ser paranoica ou cobarde, mas a realidade atinge-me sempre que tenho que viver perdas alheias e ultimamente são muitas. Estou seguramente mais frágil, sei-o porque fujo qual condenada de filmes que me façam romper o saco lacrimal. É oficial, os pés já estão na entrada da idade perigosa, aquela onde se empola tudo, receia os sonhos que roçam os pesadelos e se esbarra na dificuldade de relativizar. Decidi que

Nunca tivemos tanto e sentimos tão pouco!

Lost in the crowd by Brent Jones Nunca tivemos tanto e sentimos tão pouco ! Vivemos perigosamente insatisfeitos, querendo só porque sim e não usufruindo, na íntegra, do que nos chega, muitas das vezes através de imenso trabalho e empenho. Descartamos rapidamente cada item, pessoas e até lugares, porque o foco está sempre no que vem depois e ainda não conquistámos. Já não se sente devagar, saboreando e tentando descortinar cada "ingrediente", agora partimos para a presunção, consideramos saber de tudo e na realidade não sabemos de nada. Se o analisarem comigo, vão entender que quem não se conhece, porque gasta do seu precioso tempo a TENTAR conhecer o que lhe é externo, nunca saberá do que importa e é realmente válido. As mudanças começam por dentro e apenas depois se estendem ao que nos rodeia, incluindo ou excluindo outros. Dá trabalho, ui se dá e obriga a sossegar a mente que deixamos aos saltos para que não tenhamos que nos perscrutar. Parar para reajustar, força a mudanç

Que tenhamos todos um Feliz Natal!

Sue Amado´s photo Chega ao final mais um ano e com ele os desejos dum Bom Natal . Desta vez impõe-se, ainda mais, devido a todo o cenário inimaginável que ainda vivemos, que desejemos o melhor para os que amamos, para os que conhecemos e para o mundo em geral, porque dele fazemos todos parte. Tentei tirar o melhor do pior que me chegou e forçou a sossegar, no entanto tornou-se claro que me consigo elevar e melhorar, atingindo o que anteriormente me parecia quase impossível. Não necessito de mais nenhum ano que se equipare aos de 2020 e 2021 , lagarto, lagarto, lagarto, mas espero poder ver melhorias que surjam muito para além das pandémicas, porque o ser humano TEM mesmo que se reavaliar e unir. Que este seja mais do que um mero desejo de Natal. 

Afinal já gosto muito mais de mim!

Por vezes permito-me perceber que fiquei tão confortável comigo, que incluir outro que não eu mesma, já estará demasiado distante. Sou humana, caso existam dúvidas, mas ter o meu tempo, cada pedaço de hora e todos os minutos geridos pela minha vontade e capacidades de avançar, recuar, aceitar erros ou negá-los de todo, tornou-se difícil de recusar. Não tenho o coração fechado, não a sete chaves, na realidade até considero que nunca o tive tão pleno e saudável, mas permitir que o questionem ou exijam o que já não pretende dar, afasta-me do mundano e remete-me para o mundo que vou criando, colorindo-o sem que me importe com a paleta que dizem ser a certa. Nas minhas mãos estão os pincéis, as tintas, a escolha livre do desenho e o tempo para o fazer. Não me afastei da vida como existe, estou até mais disponível e atenta, no entanto, e porque evoluir é isto, escolho o que fazer com o que me dizem, atiram em formatos mais ou menos perceptíveis, ou deixam que se apague sem que alguma vez o

Ainda não encontrei amor maior do que o teu!

Ainda não encontrei amor maior do que o teu . Ainda não tive, nem terei, outra pessoa para quem me voltar que me proteja da chuva intensa e me mantenha segura. Ainda não me deixaste desistir, sobretudo de mim e é por ti que caminho, mesmo que receosa, porque sei que és o meu chão.  Nunca fiquei demasiado tempo na tempestade. Nunca vi esfumarem-se as forças que me passaste quando me sopraste que estarias sempre e para sempre. Nunca tive amigo maior, nem noites demasiado longas, porque trataste de me trazer para cada um dos dias que agora vivo por ti. Nunca deixaste que parasse de acreditar que conseguirei tudo o que colocar na mente, porque ela está preenchida com o mais puro de ti. Nunca chorei sem que me limpasses as lágrimas que apenas serviram para me lavar por dentro. Ainda oiço a voz que aprendi a reconhecer, a que me fala do que aprendi quando era suposto e que nunca me afasta do me ensinou ser certo. Tenho em mim as mãos com que me seguraste quando quase caí e é com elas que me

Socializar versus repetir e clonar!

Será que a nossa necessidade de socializarmos nos leva a aceitar tudo e todos quantos chegam? Os tolos, os incultos, os cheios de si mesmos, os que vão e que quando voltam já mudaram mil e uma vezes de opinião? Será que querer pertencer nos tolhe o discernimento e induz a uma cegueira temporária? Nunca fui fã do carneirismo, ou sequer das modas, o que aparentemente servia aos outros, qual fato feito por medida, a minha sabia-me a clonagem e como não somos de todo iguais, sempre dei primazia à diferença que nos completa. Será que é o medo da solidão que nos atira para a multidão solitária ?  Ter opinião própria obriga a pensar, percebo-o, mas o acto impede-nos tão somente de desligar o cérebro, continuando a alimentar o que nos conduz. Distinguir o certo do errado, o tempo que apenas pertence ao outro, salvando o nosso, pode ser solitário, mas é sem qualquer dúvida enriquecedor e acaba por nos fortalecer. Será que precisamos do efeito espelho para conseguirmos ver os outros?

Acabaste de conquistar o meu silêncio!

Somos um percurso em constante evolução e por isso a tal da consistência apenas serve aos que não pretendem mudar, melhorar ou aprender! Já fui uma acérrima defensora das palavras, sempre e para solucionar tudo, mas hoje, mais velha e muito mais sábia, sei que os silêncios terão que ser oferecidos a uns quantos, para que mantenhamos em nós as palavras que importam. Algumas pessoas nunca irão mudar, nem aceitar que erraram em determinado "sinal vermelho". Algumas pessoas farão de tudo para se imporem, descartando a importância que carregamos todos. Algumas pessoas terão como missão a nossa evolução e crescimentos e é por esse motivo que umas quantas, tal como eu, de repente escolhem o silêncio, remetendo-se ao lugar e posições que trabalharam para ter. Cabe-me no entanto contextualizar, porque NUNCA me remeto aos silêncios só porque sim e por desistência, lá atrás, quando me cabia e fazia sentido, usei de muitas palavras, todas as que conheço, para me explicar convenientement

Not enough rain...

Sue Amado´s photo A chuva está claramente a fazer falta, mesmo que o sol e a ilusão de verão tardio me saiba pela vida. A natureza terá que operar a sua magia para que a factura a pagar não seja demasiado alta.

Total intimidade? Não, obrigada!

A intimidade pode ser intimidante para muitos, talvez porque nos desnude os hábitos, impedindo-nos de nos protegermos do que nos fragiliza, mesmo que nem sempre seja real. Admiro, imenso, os casais que conseguem partilhar TODO o tipo de intimidades, nunca fui assim tão aberta e descontraída, tenho um mundo muito meu e não gosto de abrir mão dele. Acredito que a intimidade se constrói, mas também importa que se mantenham limites e que não se galguem as fronteiras que nos deixam desconfortáveis. Alguns irão concordar, mas outros seguramente que argumentarão que o casal deverá estar à vontade não importa a situação, talvez por isso existam casais e casais e cada um tenha e seja o que lhe fizer sentido. Estou a partir-me a rir com algumas cenas dum episódio no qual se percebe que algumas pessoas NUNCA irão permitir que a intimidade tenha como apelido naturalidade. Já estou com o dedo no ar caso me perguntem. Quem sabe não é este um motivo suficientemente forte para fazer terapia!

"And just like that"

E finalmente está de volta a série que nos prendeu a todas sem excepção e que nos fez querer ser as Carries deste mundo. Por mim falo, mas o que mais me prendeu ao ecrã foi a inveja boa de amizades que sobreviviam a tudo e a todos. As 4 sabiam tudo umas das outras, complementavam-se nas diferenças e até quando não estavam de acordo, acordavam em manter-se unidas. Era a tão desejada libertação feminina, a independência financeira, capacidade de escolhas, mesmo que não as melhores e os talentos, tudo isto envolto NA cidade do mundo. Acabei de ver o primeiro episódio e adorei cada segundo, talvez porque também já esteja na tal faixa etária, a que põe as escolhas lá de trás em perspectiva, ou talvez porque a magia se mantém. Corram a ver, recomendo!

Pensamentos que permanecem!

Sue Amado´s photo Se usares demasiadas desculpas para desculpar o que não sentes vontade de fazer, cada uma delas te será devolvida, em forma de todas as perguntas, às quais eventualmente terás que responder!

O caminho tem sempre que ser feito!

  Sue Amado´s photo Já deixo que o caminho me leve, mas só depois de o ter escolhido primeiro!

Com quem partilhas os teus defeitos?

Não queiras partilhar os teus momentos de imperfeição ou vulnerabilidade com as pessoas erradas, porque acabarás envergonhada e ainda mais fragilizada! O que é que procuramos quando tivemos um momento que trouxe ao de cimo o pior de nós? Seguramente que empatia e compreensão sem exageros nem paternalismos exagerados. Queremos quem se coloque no nosso lugar e que goste verdadeiramente de nós, não para além das nossas imperfeições, mas também por causa delas, porque na realidade teremos sempre algo menos bonito, mas que poderá ser esbatido pela nossa pessoa, ou pessoas, se tivermos sorte. Quando a nossa autenticidade e amor próprio estão a zeros, dificilmente seremos capazes de mostrar compaixão perante o outro, é que na realidade a "sujidade" interna é tão grande, que todos passam a ser alvos a abater. Não queiras perder demasiado tempo com quem apenas te olha com os olhos da alma que carrega qual fardo pesado, porque deles nunca virá nada que te segure ou sossegue e até os ma

Chegaram os 22 anos!

De repente mais um ano e com ele a certeza de que o meu papel de mãe é desempenhado como sempre sonhei! O meu filho do meio, o Rúben, veio duplicar tudo o que já me fora permitido sentir com o primeiro. Nada é igual, excepto o amor, esse dobra, triplica e estende-se para lá de nós mesmos. Sendo tranquilo, mas determinado, tem como missão sossegar-me, assegurando-me de que lhe passei o que precisava para hoje me devolver em dobro. É um cuidador nato e parece ter tentáculos como os polvos, chegando exactamente onde é preciso. De repente percebo que já sabe bem mais do que eu, sobretudo a como sobreviver nesta nova era, e é com o seu cuidado e atenção que me leva para mais próximo do que também é o meu tempo. Ser mãe, se alguém me perguntar, só pode ser isto que passo e que sinto, porque quando no meu coração parece já não caber mais nada, então já tenho todo o amor que preciso.

A vida noite fora!

Sue Amado´s photo A vida também é feita de momentos que acontecem para além do sol que nos aquece, por isso as noites podem ser igualmente mágicas.

Quem desejas ter ao teu lado?

Que pessoa desejas ter ao teu lado e o que estás disposto a fazer para a manter? As relações são uma carta fechada e por isso nem os mais preparados poderão fazer futurologia, no entanto, o que somos e o que carregamos deverá servir de tabela para a entrada de alguém. Os opostos não se atraem, quando muito, e porque confiámos nas feromonas, permitimos que nos indiquem o caminho tantas vezes duro e claramente errado. Por vezes até que daria jeito puxar dum inquérito, para que arrancássemos respostas atempadas, mas podemos sempre fazer perguntas, em cada etapa, para que possamos decidir em consciência. O que procuras na pessoa com quem pretendes partilhar o resto da tua vida? Deves focar-te na metade inteira que te saberá completar. Na personalidade que não arrastará tsunamis, engolindo-te o ego e a individualidade; No amor intenso, mas igualmente sereno e seguro, porque apenas ele vos permitirá resistir aos revezes da vida, nas certezas que o abraço certo trará e em todas as palavras qu

Só temos o aqui e o agora!

Sue Amado´s photo A vida é feita de pequenos grandes momentos, pessoas, lugares que nos inspiram e tornam melhores. A vida é o somatório de muitos sonhos possíveis, mas de uns quantos que teremos que deixar na gaveta. A vida é apenas o aqui e o agora.

Chegaste e partiste quando era suposto!

Chegaste quando era suposto e nem um dia depois. Trouxeste-me muitos desafios, sorrisos que me iluminavam o rosto que seguraste muitas vezes para que te olhasse com mais atenção, mas tanta dor de crescimento que apenas agora, depois do final anunciado, aprendi finalmente a agradecer. Chegaste à mesma velocidade que partiste, mas foi assim que o pedi, lá atrás, quando ainda não sabia da relação entre o sentimento e o pensamento. Chegaste quando a solidão ameaçava fustigar-me e a fé no amor me fugia por entre os dedos. Chegaste e a minha vida nunca mais voltou a ser a mesma, porque contigo veio o meu crescimento espiritual. Chegaste para que me tornasse ainda mais forte e nunca duvidasse do que sou capaz de fazer em nome da minha paz emocional, a que se espalha para envolver os que me importam. Chegaste , ainda me lembro do dia e da hora, mas deixei que se apagasse da memória a tua saída e dela não guardei nem os minutos dolorosos, nem a impossibilidade de te fazer ficar. Chegaste

Pequeno almoço completo!

Pequeno almoço de eleição, não consigo enjoar e asseguro uma sensação de satisfação para umas quantas horas. Vou variar nos frutos e não resisto à manteiga de amendoim. Recomendo!

Haja coragem que o resto faz-se!

Sue Amado´s photo O frio e o vento deram tréguas hoje, mas amanhã e mesmo que não dure, regresso, esperando que Deus o permita.

És realmente grato?

Sue Amado´s photo T udo começa e termina com a gratidão e quem não o consegue ser (grato), sobretudo perante as coisas mais pequenas, nunca achará as grandes!

Não à desumanização!

Decidi que no final de cada dia, cada semana e seguramente no final da minha vida, quero ter contribuído mais do que criticado. Se não puder agir de forma construtiva, então vou-me calar, afastar-me do negativismo e simplesmente deixar a vida correr. Não estou disposta a desumanizar, a derramar azedume e a envergonhar quem quer que seja, mas aqui estarei para responsabilizar, mesmo que não seja tão "divertido", porque isso sim será contribuir.

A vida continua a passar!

Por vezes estás tão ocupado a procurar os momentos extraordinários, que te esqueces de aproveitar os mais simples e naturais.

Foi a tua voz que me recebeu!

A tua voz era a mesma , suave e conciliadora, talvez por isso a tenha reconhecido de imediato. O teu sorriso assegurou-me de que não eras uma visão e que vieras para me levar de volta a casa. O teu calor encheu-me a alma que gelara com a tua partida e foi sem questionar que te segui, determinado e finalmente feliz. Ainda me lembro do dia em que me apaixonei, irremediavelmente, pela mulher que me acompanhou em tantos invernos e com quem tive o melhor de todos os verões. Fui um ser afortunado até ao dia em que me roubaram o chão e percebi que as restantes estações de todos os anos que me restavam, teriam que ser percorridas sozinho. Ficaram gravadas na pele e nas entranhas, todas as lágrimas que derramei com a tua perda, bem como a dor que me invadiu por não saber se te amara como merecias. A tua voz , a que ouvi tantas vezes nos sonhos, chamava-me agora para a única realidade que desejava viver.  O corpo já  ameaçava desapegar-se há algum tempo e os pensamentos, esses, apenas se fixavam

O sol é vida!

Sue Amado´s photo O sol é vida , talvez por isso nos sintamos sempre mais energizados e capazes de suportar os dias escuros e frios que estão a caminho. Hoje estava envergonhado, mas foi suficiente para me aquecer a alma.

Eu, tu e tudo o resto!

Somos o somatório de tudo o que guardamos dentro, das pessoas, das palavras e dos inúmeros actos de bondade ou de maldade gratuita. Somos a limpeza constante do que nos suja a alma e escurece o coração, ou a manutenção determinada do que nos faz sentir mal, achando que nos devemos ficar no que já conhecemos. Somos verdadeiramente pobres quando incapazes de doar o que nunca nos fará falta, ao invés deixará mais puros e disponíveis para que o bem nos invada. Somos de uma riqueza extrema quando oferecemos sorrisos, toques que tranquilizam o outro e toda a energia que sopramos, mas que também nos restaura.  O mundo é um lugar extraordinário e é povoado por uns quantos que nos acrescentam e por outros tantos que nos certificam de que nunca os desejaremos igualar ou seguir. A nossa missão já foi escolhida, mas terá que ser reconhecida e aceite, de contrário nada nem ninguém nos conseguirá valer nos momentos difíceis.  Somos bem mais fortes quando nos distanciamos da injustiça e da escuridão,

Dias de sol escondido!

Sue Amado´s photo Nem mesmo os dias sem sol brilhante me impedem de ver o que sempre existiu, e que serve para me impulsionar os sonhos. O foco está no desafio maior, manter-me em forma, privilegiar a pureza da natureza e manter o calor até no frio que envolve o mundo.

Já me conheci algo tarde...

Percebi que o que me faziam sentir nem sempre me definia. Percebi, algo tarde, que não me conhecia o suficiente, e que o deveria reverter para que as desilusões não se instalassem e para que pudesse aceitar e perdoar os mais pequenos de alma. Mas percebi, a tempo, que tudo tem o seu tempo e que aquele que me foi dado deverá ser usado sobretudo em meu benefício. Nada como o meu silêncio para que me consiga ouvir convenientemente, afastando-me das palavras que já não fazem eco na minha construção emocional. Soltei umas quantas ideias que já definira antecipadamente, sentindo-me mais leve e generosa comigo. Tornei-me uma pessoa melhor e faço-o a cada dia um pouco mais, de forma a que não me desvirtue, mas também não espere demasiado da minha evolução. Desdobrei-me em muito mais do que três mulheres, para receber convenientemente as outras duas, porque sou a dualidade, pelo signo e pela incapacidade de escolher apenas uma. Resolvi umas quantas questões que iam perpetuando por teimosia e re

O que esperas ainda do teu ontem?

Por onde andam os amores que carregam entrega, compromisso, dádiva e respeito?  Não nos devemos demarcar da realidade, da história que nos trouxe até ao hoje com que nos presenteou a vida e da verdade de que somos todos feitos, porque a premente necessidade de sonhar e embelezar o que até foi feio, pode passar-nos rasteiras que nos custarão muitas mais horas sem sono. " Que haja hoje para tanto ontem " - exclamou Paulo Leminski num poema. Se o "passado" resolver bater-te à porta, abre-a, escuta-o, mas não te demarques do presente, dourando de forma ingénua o que aconteceu realmente. Não te agarres demasiado ao que não tiveste forma de viver, achando que o farás agora. Usa o teu livre arbítrio e coloca no lugar tudo o que já lá deveria estar há muito. Sê razoável e consciente, acordada e pronta para encerrares, de vez, o que o presente te exige, de contrário nunca viverás em pleno o futuro. Onde estavas verdadeiramente quando até te provei que te deverias manter por

Places I still need to be in!

Sue Amado´s photo O frio chegou e instalou-se. O inverno corre a todo o vapor, mas estou finalmente a usufruir de cada estação sem reclamar demasiado, é que no final das contas, tudo importa e faz parte do nosso percurso.

Mais um Natal sem ti!

Mais um Natal a caminho e mais umas quantas lembranças de quem nunca saiu de mim verdadeiramente! É no Natal que pareces fazer-me mais falta. É em cada um que recordo, com um sorriso tímido, as gargalhadas que me oferecias e todos os abraços com que me envolvias, sussurrando-me que era o amor da tua vida. É a cada Natal,  e já se passaram uns quantos, que sinto falta dos beijos que nos asseguravam do que nem nós podíamos, mas que desejávamos mais do que à vida que tivéramos até nos pertencermos. Será em mais um Natal , sem ti, que te voltarei a sentir a falta e a tentar colocar em perspectiva tanta recusa, tantos medos infundados e tanta falta de entrega e coragem. Será neste Natal que pedirei para que a espera termine e para possa finalmente aceitar que nunca mais teremos um Natal juntos. Mais um Natal com o frio a colar-se à alma que ainda terá que viajar muito para te reencontrar. Mais um Natal em total silêncio e tendo TANTO para te dizer. Mais um Natal para que me recorde,

Por onde anda a felicidade?

De uma forma ou de outra, acredito que buscamos todos o mesmo, amor, colo, companheirismo, amizades sinceras e verdade, sempre a verdade, não importa a dor associada e o tempo que a levamos a encaixar. Somos algo diferentes na resiliência e coragem, mas no final de cada somatório diário, a felicidade é tudo o que nos move. Quem ainda a procura, a tal da felicidade? Quem não desiste de a encontrar, até quando parece ter emigrado para um planeta distante? Quem já percebeu que a felicidade é não mais do que um estado de espírito? Somos todos fruto duma história única e talvez por isso tenhamos linguagens distintas dentro do que até deveria ser uma língua universal. Não nos entendemos por escolha e não raras vezes até padecemos do mesmo. Somos, a cada dia, mais individuais e menos habilitados a sonhar no colectivo, talvez por isso os sonhos sejam TÃO difíceis de conquistar.  De que forma poderíamos deixar ir o que não nos permite estar verdadeiramente "aqui", o único lugar que t

A natureza no seu melhor!

Sue Amado´s photo As cores arranjaram forma de compensar o frio polar. Nada como a natureza para nos colocar no nosso lugar, que por sinal é BEM pequeno!

Será que já te dás tempo?

De quanto tempo precisas para que o tempo já não seja uma questão e possas simplesmente usufruir do outro ? As desculpas que procuramos de forma a deixar passar o que deveria ser vivido activamente, sonega-nos a vontade de mudar padrões. Somos demasiado céleres a aceitar o inaceitável e quando "acordamos", já perdemos a passada, deixando tantas experiências por viver. Testa-te de quando em vez. Arrisca a ver o mundo de uma outra perspectiva e atira para o alto programas mentais que te sabotam a capacidade de crescer e melhorar como ser humano. De quanto tempo precisas mais para amares verdadeiramente ? Não serás bafejado mutas vezes, ao longo da vida, por amores que valem a pena, por isso e de cada vez que esbarrares num, vive-o intensamente e sem arrependimentos, porque o maior será sempre o de nunca tentares.