Ainda à espera!


Ainda à espera e vou continuar. À espera de te ter o tempo todo, sem reservas, sem tempos medidos, sem que tenha que partir de cada vez que esteja a ser bom e sempre que te queira ainda mais.

Os nossos momentos terão que crescer, os nossos lugares deverão passar a ser comuns, com a nossa história, a que teremos que ir escrevendo, a cada dia, com a entrega que o amor coloca em tudo. Se esperei tanto por ti, e sei que também tu o fizeste por mim, o que serão mais uns quantos minutos, envoltos nas horas que depois poderemos partilhar, em que o que fizermos e desejarmos, terá sempre o mesmo final, eu contigo, nós, no final de todos os dias?

Vou-me manter aqui, à tua espera, não quero que nos desgastemos, mas que nos continuemos a procurar, a desejar e a visualizar juntos. Já não espero que me ames, porque o fazes, nem que o digas, porque o dizes várias vezes, isso pelo menos já saiu da lista, mas espero consegui ter-te, sempre e de cada vez que todo o meu corpo se arrepiar de vontade, sempre que, e bem dentro, nada me conseguir completar ou preencher, nada a não seres tu mesmo.

Sabes pelo que espero neste preciso momento? Pelos teus beijos, os que operam milagres de cada vez que a tua boca se encosta à minha. Espero pela pessoa que me fez ver tudo da forma certa. Espero por um amor inteiro, meu, nosso, igual. Espero por ti, sempre!

0 Comentários