hands

Parece difícil, mas se o consigo pensar e visualizar, então estou pronta para o receber!

O mais difícil já foi conseguido. Já sei o que quero fazer, onde me vejo no futuro e com quem. Nada mais simples, certo? Todos nós sabemos que não é verdade, e que muitas pessoas, se não a maioria, passarão a sua inteira existência sem saber o que vieram "aqui" fazer, o que lhes está destinado e de que forma poderão contrariar o que acabaram a atrair, mas que não as satisfaz em nada. Primeiro temos que sonhar, depois planear e visualizar, juntando empenho e resiliência. Abanamos bem até conseguirmos a persistência necessária, e depois, depois é só permitir que chegue, estando com os braços, e a mente bem abertos.

TANTO que já acabei a ter na palma das mãos, mas não se iludam, não se limitou a cair, eu fiz, e muito, para que acontecesse. Não desisti, procurei formas de contornar os desafios mais exigentes, desafiei-me a mim, sempre, testei e fui testada quanto à minha verdadeira vontade.

Na minha casa abundam os cadernos, os diários, as agendas, tudo que possua folhas, com imensas linhas, e as quais preencho com os meus objectivos e não terão forma de imaginar, a não ser que também o façam, o prazer que dá ir riscando cada ponto, sentindo cada concretização.

Também já aprendi que sou um íman e que atraio TUDO, o bem e o mal, daí o cuidado extra, a necessidade imperiosa de não ser demasiado, arriscando-me a que chegue o que menos desejava, e afastando o que faria realmente sentido. Aprendi que há forma de controlar o que estiver a sentir, e que me caberá, sempre, reavaliar a sintonia, procurando o melhor para mim e para quem me importa.

0 Comentários