Couple eating ice cream cones by Gable Denims on 500px


Esbarrámos um no outro, assim, do nada, cada um na sua vida, quase sem nos vermos, não fosse o teu telefone ter tocado, bem perto de mim, arrancando-me dos meus pensamentos!

- Olá miúda.
- Olá para ti também.
- Caramba por onde tem andado escondida uma mulher tão bonita?
- Não estou escondida, tu é que andas distraído.
- PIMBA, toma lá. Nunca perdoas uma, estás igual.
- Igual não direi, mas continuo a mesma, por dentro.
- Só se for por dentro, porque por fora...

Se não te parasse, se não te conseguisse desviar o foco, irias certamente ficar a bater no mesmo o resto da tarde. Bonita, boa e mais do mesmo.

- Anda que te pago um gelado, está um calor daqueles.

A conversa acabou a ser bem agradável, falámos dos amores que se foram, dos que andam a espreitar, das prioridades e da vontade de assentar, de parar de procurar, de saber quem fica e porquê...

- O que andamos nós a fazer?
- Não percebi.
- Porque não voltamos a tentar? Já nos experimentámos.
- Credo homem, que maneira de falar.
- É mentira? Eu sei qual é o teu sabor e ainda não encontrei outro igual.
- Como eu só eu mesma e isso não é necessáriamente bom.
- Muito gostas tu de relativizar, de não te pores no degrau certo, isso é o quê, medo? Tu sabes bem o que vales e o efeito que tens nos homens.

Não me apeteceu reiterar mais nada, estou cansada de ter argumentos, de saber tudo, de ter respostas na ponta da língua, por isso permiti-me relaxar, comer o gelado que estava fabuloso e ainda lavar os olhos, porque continuas bom como o milho, mas não o vou dizer nem que me torturem, era só o que mais me faltava, um gajo com o ego inflamado!


0 Comentários