Deixámos de ter medo os dois!



Deixámos de ter medo os dois, mesmo que tenhamos ainda muito para recear. Aproximámo-nos tanto agora, que todas as falhas de antes deixaram de fazer sentido. Impedimos todos os outros de nos estragarem o ar que só respiramos porque existimos, porque pensamos os pensamentos que já eram partilhados muito antes de existirmos e existir só faz sentido se permanecermos. Deixámos de apenas querer, agora queremos justificando todos os movimentos que os amantes coordenam porque de outra forma ficariam descoordenados. Deixámos o mundo com pouca margem de manobra e começámos a manobrar o nosso tempo, os nossos momentos e todos os olhares que nos devemos. Deixámos de ter o que responder aos que nada têm, porque para nos termos realmente, o que não serve terá que ficar demasiado longe. Deixámos para lá tudo o que não nos melhora, mas não deixamos de nos dizer o que passou a importar demasiado para não ser dito.

Publicar um comentário

0 Comentários