SELECTED CATEGORYSentimentos!

26.10.20

Nunca desistiria de ti para continuar a viver!



Se amanhã fosse o dia do julgamento final, tenho a certeza que escolheria passá-lo contigo!

Nada como o amor para nos provar que andar por aqui vale mesmo a pena. O que carregamos e todos os sonhos que sonhamos precisam de doses cavalares de amor, porque é ele que nos move as células e reactiva os genes que nos sobrevivem. Nada como sabermos que nos têm o mesmo amor que sentimos para sentirmos que o que fazemos é válido o bastante para que morrer deixe de ser relevante.

Se tivesse que morrer contigo amanhã, num abraço sereno, mas tão intenso que nos misturasse até sermos um só, estou segura de que estaríamos de volta para uma nova vida juntos.

Nada como carregar as certezas que nos certificam que temos a pessoa certa e que pertencemos a quem está pronto a galgar todos os muros que tantas vezes nos separam. Nada como ter as razões que bastam para que nada de menos razoável nos afaste. Nada como já não ter nadas e ser capaz de ver sem filtros o que é nosso para ficar.

Se tivesse que desistir de ti para continuar a viver, não levaria mais do que 1 segundo a decidir que se só existo porque estás aqui e porque validas a pessoa que me tornei, então só poderemos existir juntos, até porque a minha pequena metade nunca me bastaria.

23.10.20

Não sabotes a tua vida!



Não permitas que as tuas memórias e mágoas do passado te impeçam de ver o BOM do presente. Escolhe ter um olhar diferente. Encontra os lados certos de cada lado novo. Sê mais coração sarado e sara cada dor acumulada.

És fruto da vida que viveste e carregas, mas podes sempre, a qualquer momento, arrancar o que não serve e guardar apenas as coisas boas. Tudo o que desejas está ao teu alcance se o desejares realmente, fervorosamente e sem amarras invisíveis.

Sê diferente, sê melhor; Sê agradecida; Sê a pessoa que evolui a cada passada; Sê mais bonita por dentro e até o sol romperá por entre as nuvens para te saudar; Sê a pessoa que todas as pessoas vão querer ter por perto; Sê hoje quem quererás levar para o teu amanhã.

21.10.20

E se chovesse na minha alma agora?



Se chovesse na minha alma, arrastando tudo aquilo de que já é feito o meu coração, como chove hoje, certamente que restaria muito pouco de mim!

Como é que afasto o mundo lá fora e digo apenas o que me apetece ouvir? Como é que me envolvo, ainda mais, numa capa de invisibilidade para que não pousem em mim olhares que me enfraquecem? Como é que posso atrair apenas o que tenho quando já pareço ter conseguido o bastante para me bastar?

Se deixasse que me colassem medos e rotinas que certamente me sugariam inteira, tudo o que tanto fiz por compor, acrescentar e melhorar, serviria de muito pouco. Se o que sou, de forma consciente e empenhada, colidir com a falta de empenho dos outros em chegarem onde já me encontro, asseguro-vos que os deixarei ir, porque nunca mais me disporei a arrastar quem finca os pés e trava a própria evolução. Se escolherem escolher o nada que agora parece rodear-nos qual nuvem gigantesca, então terei que me escolher a mim, porque apenas eu me restauro de cada vez que o mundo passa demasiado rápido e provoca as inevitáveis baixas.

Se chovesse na minha alma agora, neste ponto e momento em que me encontro, então o meu "trabalho" não teria sido bem feito.

20.10.20

Não preciso de te ver para te querer!

 


Não preciso de te ver para te querer, posso bem usar cada um dos sentimentos que usei em cada amor passado para construir um novo.

Não preciso de saber qual o teu sabor para já ter comigo os sabores que que me deixarão completa e saciada, preciso apenas de me recordar do que me adoçava a boca e me fazia esperar que o mundo parasse de girar.

Não preciso de ouvir o som da tua voz para que sinta bem dentro a que me dará forças para dizer tudo o que precisarás de saber sobre mim. Sei já que o tom quente, bem colocado e com o timbre que me fará estremecer de prazer só poderá ser o teu.

Não preciso de imaginar como irei ser tocada, preciso apenas de me sentir como a mulher que o homem certo tocará, ligando cada um dos botões que deixei fora de serviço, consciente de que se não me sarasse, nunca ficaria pronta outra vez.

Não preciso de duvidar se alguma vez poderei confiar em ti, porque já confio, já te tenho, já sei quem serás e já te espero, pacientemente e segura de que virás.

19.10.20

Querem saber o que me cansa?

 


Querem saber o que me cansa?

A pressa desmedida quando afinal até já sabemos, TODOS, que tudo tem o seu tempo e lugar; A importância que se dá ao pequeno, quando o que importa verdadeiramente está bem debaixo do nosso nariz; As lamúrias perante o que nem dói, apenas incomoda e por isso mesmo fico sem saber o que farão e quão alto gritarão quando for mesmo sério; A parcialidade quando desejam imparcialidade a qualquer custo, olhando apenas para os seus minúsculos umbigos; A necessidade de denegrir os que ainda lhes servirão um dia; A repulsa em aceitar que estamos todos ligados e que as energias circulam o bastante para que regressem e nos devolvam o que enviámos...

Querem saber o que é que me cansa nestes tempos em que todos parecem adormecer e acordar cansados de si mesmos?

Que continuem sem querer entender; Que não se esforcem por empurrar, ao invés de puxarem sem qualquer conta ou medida, pelo que os cansa ainda mais; Que não sejam feitos de amor, de entrega e de humanidade; Que continuem desesperadamente à procura do que já possuem, mas que deixam fugir diariamente; Que apenas ocupem o espaço que afinal é comum e deveria ser cuidado por todos.

Ufa, fiquei de repente cansada só de imaginar TANTO cansaço colectivo!

12.10.20

Tens que saber quem és!


Sabes que já atingiste o nível de evolução que te eleva verdadeiramente, quando estás tão tranquila por dentro, que o exterior dos outros, os seus medos e paragens ininterruptas já não te importam. Sabes que a tua quietude interior é demasiado preciosa para que a roubem a troco de nada. Sabes que o que aprendeste é fruto do empenho que os outros se recusam e por isso mesmo recusas-lhes mais cedências. Sabes que tens que parar de te repetir, porque não te ouvem, não te entendem e não pretendem mudar. Sabes ver quem antes era difuso e deixas de ver até os que aparentemente serão bem visíveis. Sabes, porque o sentiste, que as dores não se carregam para sempre, mas que o sorriso, esse sim, pode estar no canto da boca, aquela da qual já apenas sai o que deve ser dito. Sabes tanto sobre ti, que deixas de querer saber do que são feitos os que ainda nada sabem, mesmo que tudo lhes seja demonstrado, uma e outra vez. Sabes quem és e o que precisas para que vás precisando cada vez menos de te explicar. Sabes bem o que consegues quando te dispões a fazer acontecer e é assim que tudo vai acontecendo, no tempo certo, quando te faz mesmo falta e nem 1 segundo antes. Sabes que tens o coração pronto porque já nada do passado te ensombra e porque recebes o hoje com a serenidade que te carrega para um futuro cheio de sol.

old
Feel Me © . Design by Berenica Designs.