Queria que pudesses ser assim, como te desejo e a seres meu quando precisasse. Queria que me pudesses abraçar, na rua, sem medo de que os teus medos se transformassem em realidade. Queria que gritasses o meu nome no cimo do prédio mais alto, para que todos pudessem saber do que apenas eu acredito ser verdade. Queria ser diferente de todas as outras e que nunca me comparasses. Queria que me quisesses assim, como te desejo...

Vou sempre jurando que os teus beijos são únicos e que te sabem ao que sinto. Arranjo maneira de acreditar no que me digo, e digo-me sempre o melhor sobre ti. Encontro desculpas para o que não fazes e motivo o que acabas a fazer, mas apenas porque te pedi. Apago os momentos mais feios e escolho as escolhas mais fáceis... Mas porque é que não podes ser assim, como preciso?

Ainda não trocaste o meu nome, mas quase que consegui sentir outro som e certamente que com ele viria a que te deixa apagado, até quando sorris para me tranquilizar. Não preciso, não agora, de ter certezas, mas sei, como sabem os que amam sozinhos, que não é por mim que esperas. Ainda não me falaste dela, mas sei que está em tudo o que esperas. Ainda não te tive em pleno e até o meu corpo reclama de quem está não estando.

Queria que ao menos me quisesses como há tanto espero, mas recuso pensar que será sempre assim. Não sei o que acabará por doer mais, a dor que está comigo diariamente, ou a que virá quando já não estiveres. Não pareço saber coisa nenhuma , nem mesmo o que sou quando acho que te tenho.

Se ao menos me quisesses...

0 Comentários