art, blur, close -up


Ser de alguém. Pertencer a quem nos pertence, sem demasiada entrega, apenas a mesma que receberemos. Saber o que podemos esperar de quem espera o mesmo de nós. Estar sempre no lugar certo, sendo quem esperam que sejamos. Entender do que são feitas as relações que teremos que alimentar, diariamente. Ir para lá do que é esperado, porque esperar sempre mais é e tem que ser natural.

Alguns lugares comuns estão a deixar de o ser. Alguns de nós, os mais reservados e assustados com o desenrolar dos amores novos, passámos a querer regressar a casa assim que se tornam difíceis. Algumas mudanças, nos desejos, nos olhares e nos sonhos, estão apenas a forçar-nos a sonhar mais ainda, sem saber ou antever de que forma sairão do lado de lá para se tornarem reais. Algumas pausas, para que possamos respirar, vão apenas retirar-nos o resto do ar e acabaremos por ver ir quem teria tudo para ficar. Algumas escolhas serão, inevitavelmente, erradas.

Um abraço agora e eu prometo que te restauraria todo. Um beijo bem sentido e dado com a boca que a tua deseja e metade dos teus males se esfumariam. Um sorriso, o que já não consegues ver e poderias acreditar em nós, outra vez...

0 Comentários