Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Maio, 2018

Falar do que nos importa falar!

F alar do que nos importa falar . Falar do que precisamos e nos deixa mais próximos, é o que não descuramos, em nenhum dos momentos de que os nossos momentos agora são feitos. Falar do que me fazes sentir e da importância que passaste a ter, é o que preciso para me aproximar ainda mais de ti. Falar do amor que sinto crescer, e de tudo o que me consegues dar, é como beber de águas frescas e puras. Falar de ti, de quem és e de como te reconheço, enche-me e preenche-me, porque somos tão parecidos que chega a assustar. Temos tanta história em comum e tantos desejos que se misturam, que por vezes nos confundimos. Queremo-nos de forma tão intensa, que certamente ainda nos acabaremos a esgotar. Eu vou   sempre falar do que me importa , nunca me remetendo aos silêncios que me magoam.  Eu vou , enquanto estiver na tua vida, dar-te de mim  as instruções que te provarão que estás no momento certo, naquele em que fiquei pronta para ti.  Eu vou , sem qualquer dúvida, ter-te comigo até

Não importa que a ames...

Queres que te explique? Então aqui vai. Toda a gente diz que ama alguém, mas a verdade é que isso não importa nada, porque o que sentes apenas a ti diz respeito, já o que fazes... Trataste-a mal. Não respeitaste cada um dos momentos nos quais ela esteve sempre presente, contigo e por ti. Escolheste a tua pequenez e ampliaste os teus medos, tanto, que nem o amor que lhe dizes ter foi capaz de te travar. Esqueceste-te, por momentos cruciais, de todos os que tiveram juntos e nos quais fizeram planos, embrulharam sonhos e saborearam a vida que só vos serviriam se fossem dois.  Não importa, sobretudo não para mim, que digas que amas, porque o amor mostra-se, prova-se, dá-se e entrega-se connosco dentro. Não importa que a ames , não assim, cheio de medo de que a tua vida e individualidade termine. Duas pessoas continuarão a ser duas e cada uma, com tudo o que fazem por ter e com tudo o que conseguiram armazenar. Só amar não basta para que o amor cresça e se mantenha, precisamo

Apaixono-me por ti de cada vez que me recordo de quem és!

Apaixono-me por ti de cada vez que me recordo de quem és.  Reconheci-te porque já percebi quem sou e de quem preciso para que tudo se encaixe. Apaixono-me por ti a cada dia, e eles passam a ser tão longos quanto a tua presença diminua, mas demasiado pequenos sempre que te tenho dentro, porque querer-te, ainda  mais, já se tornou um exercício regular e necessário.  És feito de uma matéria muito própria, a mesma que a minha reconhece. Tens o que me faz falta e que falta me fazias mesmo antes de o entender. Sabes o que já aprendi há algum tempo e é comum falarmos sem nos ouvirmos, ouvindo cada som que não é expelido, mas sentido. Procuras, em mim, a segurança de que te rodeaste para seres tudo o que nem cheguei a imaginar. Aceitas os meus medos e afastas os teus porque não podemos fraquejar ao mesmo tempo. Redobras-te em cuidados e cuidas de nunca me faltares, não em desejo, não em atenção e não na paciência que te exijo. Apaixono-me por ti de cada vez que me recordo de que

Vou estar sempre aqui!

Vou estar sempre aqui ! Quem é que não quer ouvir algo assim, munindo-se da certeza que esta certeza passa? Quem é que fica imune à consistência e ao para sempre? Quem é que não espera ter que parar de esperar e simplesmente receber quem faça sentido? Quem é que não quer um amor maior que si mesmo, para que até a alma se sinta a rebentar? Quem é louco o bastante para deixar que a loucura se instale e perca quem acabou por encontrar? Vou estar sempre aqui porque te amo e amar-te é o que me prende ao chão que pisas. Vou estar sempre aqui , até quando me enxotes com esse feitio que me desespera, mas ao qual não permito que me afaste do essencial, porque na verdade és bem mais. Tens muito do que me faz falta e sentes o que inevitavelmente passei a sentir por ti. Sentes medos infundados, alguns que consigo sossegar, mas outros que me recordam da inevitabilidade que é perder-te.  Vou estar sempre aqui , para o bem e para o mal, colado ao que tens de melhor e o melhor és tu tod

Recuso-me a ser apenas uma história!

Recuso-me   a ser apenas uma história .  Recuso-me  a ter e a sentir apenas o que os outros me impõem.  Recuso-me  a seguir a maré e a esperar pelo que nunca chegará.  Recuso-me  a recusar-me a vida que preciso de ter! Nós  ainda vamos decidindo, não tudo, não sempre, mas as vezes que até poderão bastar.  Nós , podemos, se assim o entendermos, entender os que nos chegam e os que partem, porque partir, por vezes, será mesmo o que teriam que fazer.  Nós  sabemos, mesmo quando receamos as respostas, o que nos dirão se ousarmos perguntar.  Nós  conseguimos, ir, continuar, desejar, ou apenas refrearmo-nos, de cada vez que as vezes certas baterem seguras na vida que escolhemos.  Nós  somos os actores principais, apenas teremos que saber o que dizer, quando for a nossa vez de falar. Espero que o que faço por ter e entender me baste para saber da minha vida, dos meus, de todos quantos amo. Espero, mesmo, que me consiga conduzir para poder ser seguida, e para que nunca me culpe

Já não sei de ti...

Onde te escondes  quando tudo o resto se abriu demasiado, e te roubou cada momento, os mesmos que te desnudam e impedem de ser outra qualquer? Precisamos de ter quem nos proteja do que aparentemente nos magoa. Precisamos de precisar de tudo e de todos, mas queremos, certamente que a maioria de nós, encontrar modelos que nos deixem no comando do que teremos que comandar. Já  me restam poucos espaços nos quais me mantenha apenas eu.  Já  não encontro, quase nunca, minutos, ou sequer segundos nos quais possa simplesmente desabar, fraquejar e deixar-me ir.  Já  não me reconheço quando conheço, mesmo, e por dentro, os que até me são próximos.  Já  não choro como antes, até porque se o fizesse, certamente não conseguiria parar.  Já  não me escondo, não adiantaria e só serviria para que me procurassem. Não sei de ti. Não encontro explicações para o que falhas explicar, mas não me esforço por entender, já não. Não me escondo de ti, não quero nem preciso, porque não és tu,

Finais que sabem a recomeços!

Somos o fruto das nossas escolhas, até das que adiamos. Somos os lugares por onde passamos e cada uma das pessoas que nos marcam, mesmo que a ferro em brasa. Somos inteiros quando decidimos afastar o que nos subtrai, sobretudo paz, e demasiado pequenos quando nos arrastamos, impedidos de caminhar por caminhos seguros. Somos tão importantes, quanto a importância que nos dermos, e é por isso mesmo que convém saber até onde seremos capazes de ir. Alguns finais são suficientemente libertadores para nos permitirem recomeçar, e a cada recomeço renovamos a energia que nos roubaram, tal como o sono e a sanidade.  Finais que sabem a recomeços porque nos demos a importância que merecíamos, sentindo que tudo se torna tão incrivelmente fácil e natural, que até deixamos de nos lembrar do que padecíamos. Finais indolores, porque ninguém consegue sofrer para sempre, não com a intensidade com que amou e desejou ser amado. Finais que não terminam com o que importa e que nos remetem para o qu

E aqui está mais um ano!

Não posso negar que me vai custando repetir a idade que se me cola, quer o deseje ou aceite, quer não. Custa-me porque não consigo deixar de me questionar sobre o que tenho feito de cada um. Será que os vivi como deveria? Terei sido demasiado benevolente, ou arriscadamente sonhadora? Pois, não me perco demasiado no passado, apenas e só o tempo suficiente para tirar dele lições valiosas, mas faço-me perguntas e um dia responderei a cada uma. Fiz 52 anos e o que foi que aprendi até hoje ? Ui, preparem-se porque vem daí um tratado! Aprendi o verdadeiro valor da palavra amizade e a triste realidade é que tenho pouquíssimos amigos. Deixei-me de lamechices e passei a olhar para tudo o que me chega com coragem e determinação. Nunca mais culpei quem quer que fosse pelas minhas escolhas erradas, porque foi com cada uma que me fortaleci. Entendi que nem sempre poderei esperar dos outros o que eu tanto faço por conquistar, porque percebo que não queiram "trabalhar" demasiad

Escolher é a minha escolha!

Sou eu que escolho ,  SEMPRE , como me irei sentir, que importância dar aos outros, de que lado da cama prefiro dormir e o que farei em cada dia! Se me cabe a mim escolher , então não posso ser masoquista e não deverei querer o fatalismo, nem a mediocridade.  Se me cabe a mim escolher , então escolho estar bem e feliz, porque tudo o resto serão apenas passagens mais ou menos longas.  Se me cabe a mim escolher , e desde que percebi que poderia mesmo fazê-lo, então escolho amar quem me ame de volta. Numa fracção de segundos até as nuvens aparecem, ameaçadoras, a roubar-nos o sol   que julgávamos ter vindo para ficar. No minuto imediatamente a seguir a uma enorme gargalhada, sentimo-nos sufocar e a voz que ouvíamos, forte, desaparece. Tudo, mas mesmo tudo, é tão efémero e passa-nos tão rápido, que a escolha inevitável será estar bem, pelo tempo que conseguirmos, estando connosco mais tempo do que com os outros, que não raras vezes ameaçam o nosso equilíbrio. Quem acreditas que

Como anda o teu amor?

Para onde vai o teu amor de cada vez que escolhes não acreditar? De que forma arrumas o que já fazia parte de ti, apenas porque decides aceitar os teus medos? O que fazes da intensidade com que sentias a pessoa que fez de ti alguém melhor? Porque permites que o que é pequeno abafe o maior sentimento de todos? É sempre tanto o que nos pode unir, mas bem mais o que nos separa. Temos a vida como a vemos e sentimos. Temos um milhão de "chamadas" exteriores que nos distraem. Temos a falta de tempo e o tempo mal usado. Temos o egoísmo e a subtracção das palavras, umas, mal usadas e muitas outras por usar. Temo-nos a nós, como maiores inibidores da felicidade. Deveríamos ser muito mais cautelosos no que toca ao uso da palavra amor, não a desbaratando, porque ela carrega o mundo desde que o conhecemos como tal e vai continuar a carregar cada um de nós, até que o que nos trouxe aqui termine. Deveríamos inteirar-nos das regras do jogo, e quanto mais cedo melhor, para que

O amor por vezes morde...

Por vezes é mesmo assim,  o amor morde , ferra, arde, revolve-nos por dentro, mas continua a ser o sentimento que faz tudo o resto valer a pena! Love bites, but we want every love bites . Um trocadilho com as palavras, porque a verdade é que  o   amor morde , mas queremos, sempre, cada  pedaço de amor .  Queremos  sentir, nem que seja uma vez na vida, o que ele nos consegue trazer.  Queremos  saber como o descrever, deixando que nos deixe ser como tantos prometem. O amor morde  se não for o amor certo. Se forçarmos o que nunca terá forma de chegar. Se nos deixarmos ficar para trás, aceitando migalhas e recebendo, a conta-gotas o que deveria vir numa enorme enxurrada.  O amor morde  quando já está para lá de morto e nós insistimos em o manter a respirar.  O amor morde  se amar for apenas "eu". Todos nós  ansiamos por algo completo, que nos envolva de todos os lados, que nos encha e preencha cada fresta, colando peças que deixámos partir e sabendo que quem estiver co

Surviving us...

Let´s skip the glory and the breakdowns. Let´s just be you and me, because I am as damaged and happy, and because you need me, too. I am jealous, most of the times. I get angry, but I love you more and the most parts. I am weak, and so are you, so give up on judging. I break me from the inside, but I mind, and I mind you. I am helpless because you run away, half of the times, but I help you today and always. I refuse to give up, because I count on you staying. I die and come back, for you... Let´s skip the blames and the yelling, we both need the truth and the silence that will tell us things. Let´s just save what we have left, and maybe tomorrow we wont have to feed on the blood. Let´s just keep on loving because I know I do, and I´m counting on you, too.

Não escolhas ter razão quando já a perdeste!

Quando te dás a ti mesma, razões para que a razão perdure, não importa o resultado, consegues que o que não se encaixa tenha lugar e que o inexplicável, milagrosamente, se possa aceitar! É a ti que cabe reconhecer e manter o poder, mas, e até mesmo quando a tua maturidade esteja no auge e já tenhas descoberto quem nasceu primeiro, se o ovo ou a galinha, vais precisar de passar por cada um dos caminhos que te levarão ao que importa. Vais encontrar desculpas que sirvam para camuflar meias verdades e mentiras estruturais. Vais ter que provar de todos os sabores até os poderes distinguir e vais perceber que é possível seres a que ama mais, com total entrega e sem cobranças, mas assim mesmo a não conseguir reverter a falta de amor que te têm. Quando te permitires ser deslumbrada, porque até tu és filha de Deus e precisas de alguma validação, perceberás que alguns nunca serão capazes de te ver como és agora e que apenas irão querer fantasiar-te para que te encaixes de forma pe

Quando a realidade nos acorda para as pessoas...

Uma coisa é o que sonhamos, desejamos e planeamos, outra bem diferente, é a realidade como se apresenta, imperfeita e exigente! Quando a realidade nos acorda para as pessoas que nos rodeiam, mostrando o seu verdadeiro papel "aqui" e pode tão-somente ser o de destabilizar, magoar ou impedir de brilhar, podemos fazer uma de duas coisas, resistir ou morrer. Cada um é o que tem, mesmo que com muitos enfeites ou barulhos, por isso teremos que saber como encaixar quem nos rodeia, ou afastá-los para sempre. As lições serão tão duras quanta a nossa teimosia, e se nos recusarmos a entender e a aprender, algo ou alguém o fará por nós, provavelmente da forma mais dura. Gostava de conseguir continuar a proteger os meus dos mortos-vivos deste mundo, mas na impossibilidade de poder estar sempre por perto, vou-me mantendo alerta, tentando que aprendam tudo o que já aprendi, mas de forma mais suave e quem sabe assim não os alivio de alguma carga. Gostava, muito, que não

De mim terás sempre tudo!

Olá meu amor , Eu sei que falamos todos os dias. Sei que debitamos milhares de palavras por segundo,  mas ainda assim, nunca nos cansamos de nós, porque que há sempre muito mais por dizer e para saber. Gosto  de escrever para ti e sobre ti.  Gosto  de me sentir importante na tua vida, de te mudar os dias e os rumos.  Gosto  deste amor que começou para mim, desta forma, mas que para ti apenas se limitou a crescer. Gosto da nossa parte de dia, aquela em que mais ninguém entra ou faz falta.  Gosto  de gostar de ti assim. Dizes-me, quase sempre, que posso ir aprendendo a baixar as defesas e a aceitar que és quem sempre me fez falta. Até que o percebo e tento, com todas as minhas forças, parar de lutar, porque mesmo que sejas real e que digas o que sentes e esperas de mim, a verdade é que existe sempre margem para erros. De mim, terás sempre tudo meu amor ! É o que me sopras, gritas, apregoas e recordas, todos os dias, para que nunca arrisque duvidar. É, e tem sido, com essa

O que é verdadeiramente importante?

Qual é a importância que dás ao que te chega, coisas e pessoas, lugares e oportunidades? Ao que recorres quando nada parece encaixar-se, ou o que dás de ti, agradecendo, quando tudo é tão certo que não precisas sequer de te mover? Como é que relativizas, ou será complicas ainda mais, cada um dos desafios que a vida te coloca? Tudo terá a importância que lhe escolheres dar, mesmo que para isso tenhas que te reprogramar, reavaliando o que te trará paz de espírito, ou um turbilhão constante e que aumentará à medida que se adicionam os anos. Tudo é tão premente quanto a pressa que te imprimes, ou tão lento e propício a adiamentos, se não estiveres nem para aí virada. Tudo pode ser o tudo que te faltava ou o nada em que transformará o que não importa. Já sabes o que é verdadeiramente importante na tua vida, e o que podes fazer se não o tiveres? Se te deixei a pensar, então ainda não carregas o que importa e não definiste o que te cabe por direito. Se ainda estás no começo da

Se te conseguisses ouvir...

Se te conseguisses ouvir  serias capaz de perceber que quase nunca fazes sentido! Queres  porque sim, mas recusas quem te quer.  Decides  porque não te imaginas noutro futuro, mas acabas a renegar o teu presente, fugindo parado.  Impedes-te  de ser amado e desperdiças o único amor que tanto de custou conquistar. Se te conseguisses ouvir , no silêncio, sem os barulhos que te embrulham a vida e te deixam tão confuso, saberias que tudo o que perdeste foi porque abriste as mãos. Ninguém mendiga amor, sentimentos, ou desejos que não parecem ter forma de crescer. Ninguém é louco, o bastante, para aceitar o que nunca chegará. Ninguém deve ver quem não existe, não para si. Pus o meu amor no alto de mim, gostei, ainda mais, de cada pedaço que sou e dei-me a importância que tenho. Agora preciso de te começar a agradecer a recusa, porque me deixaste espaço e tempo para reencontrar quem afinal esteve sempre aqui. Tornaste-me a mulher mais completa e feliz que conheço, e sa

Depois de mim quem?

Dizias que estavas louco por mim e que me adoravas. Não te cansavas de repetir que era a única e que nunca terias um amor que se pudesse comparar ao nosso. Ouvi-te sussurrar e gritar tudo o que uma mulher gostaria de ouvir, mas a realidade foi diferente e já não estás no nosso agora, desististe de nós e o que tanto parecia ser, parou... Depois de mim a quem será que vais repetir todas as promessas, as mesmas que aprendi a ouvir, acreditando em cada uma? Vamos sempre ter os que planeiam sem executar, decidindo sem reflectir ou entender. Há quem nunca seja capaz de manter o que até escolheu e recebeu, talvez porque não saiba como, ou entenda que pode continuar, indefinidamente, sem ter que prestar contas. Não sei como classificar estes espécimens, provavelmente não me cabe fazê-lo, mas não consigo impedir-me de sofrer por ter acreditado, cegamente, no que não teria forma de acontecer. Depois de mim quem é que passará pelos teus abraços ansiosos, mesmo que pouco since

As palavras que apenas eu entendia...

O meu mundo, sobretudo o das  palavras , há muito que era apenas meu e não tinha eco em ninguém do outro lado de mim. O que escrevia e dizia, importava-me sobretudo a mim e ser  UMA , não tendo que me dividir, nem acrescentar, fez-me endurecer e deixar de incluir! O que tu vieste mudar e o que me vieste ensinar, é que preciso de te meter em tudo o que digo e faço, porque já não estou sozinha.  E stás para ficar, movimentas-me e acrescentas-me. Responsabilizas-me por tudo o que desejo, sonho e faço acontecer. Já és a metade de que tantas vezes falei, mesmo que por vezes achasse que seria apenas mais uma palavra. Lembras-me, a cada minuto, de que forma te devo tratar e é por isso que estou a prestar mais atenção. As palavras  que agora debito, encontram um  adversário  à altura, nunca ficam sem resposta, nunca me deixam no vazio, e sobretudo, nunca me permitem duvidar  do que representas para mim.   As palavras  que agora lês e ouves, tocam-te, infligem-te prazer, dor, med

O que faria e seria se existisses?

Dava tudo o que tenho para ter tudo o que representas, porque és bem mais do que preciso! Deve saber BEM ouvir algo parecido. Haverá certamente quem ande por aí a desbaratar palavras tão intensas e motivadoras quanto estas, gostava de saber onde, melhor ainda, matava por encontrar pessoas assim, com conteúdo, vontade e coragem acima da média, porque no geral anda tudo a rastejar pelo chão, literalmente, sem vontade de usar ambos os pés, muito menos o coração ou os neurónios. Será que nos vamos endurecendo, amargando e desistindo, à medida que todos os outros já parecem ter desistido de existir? Será mais fácil termos as mesmas cores e misturarmo-nos com todos os outros? Será loucura querer que alguém nos enlouqueça enquanto se sente incapaz de sobreviver à nossa falta? Dava tudo para encontrar a metade que reconheceria a minha, mesmo que não se encaixasse inteira, mas que soubesse onde se colocar para que ambos tivéssemos um lugar definido. Com o uso exacerbado de tan

Destino, escolhas ou a falta delas...

O que temos. O que nos falta. O que somos e o que nunca conseguiremos ser, terá certamente uma explicação aceitável, mas é muito difícil, ou praticamente impossível, que aceitemos o que não nos acerta. Destino, escolhas ou a falta delas . É a nós que nos cabe analisar de que forma nos temos conduzido, porque apenas assim poderemos reverter erros dum passado que nos ensombra, mas que já não está mais aqui. Se adivinhássemos nunca nos perdíamos, mas algumas das burrices são tão óbvias que a dor permanecerá por tempo indeterminado. Talvez com o perdão e a aceitação da incapacidade natural nos segure um pouco mais, mas que dói isso dói. O que é suposto aprender? O que foi que não consegui entender ou ver? Temos que nos perguntar, todos os dias, de que modo caminhamos e até onde acabaremos a chegar, se não tivermos um plano, se não soubermos ler as coordenadas e se insistirmos no que não resulta. Se fosse destino seríamos apenas marionetas sem vontade própria. Por isso eu

Tatuado em mim porque o permiti!

Tatuado em mim , por agora, mas a saber-me a um sempre que certamente me deixará em apuros. Tatuado em mim até que já não consiga distinguir o que era do que passei a ser! Já não tenho como dizer ou explicar por que razão me deixo envolver assim, anulando a vontade de continuar, por mim e comigo em cada passo. Há tão pouco do tudo que tanto me levou a criar, que me entrego à vontade de arrancar, sem anestesia, pedaços de todos os que votei para ti. Tem sido uma viagem longa, sem ti, mas contigo até quando não penso, ou me distancio do que estou a fazer e a dizer. Pareço saber cada dia menos, mesmo que vá sabendo codificar este amor obstinado e dolorido, entendendo que não é certo, porque me faz mal. Não és tu que me magoas. Não é de ti que me chega esta vontade de te ter, porque na verdade não sei o que significa. Não tenho como te culpar, até porque tens estado tão distante de tudo o que sinto, que já não deveria estar a sentir nada... Estás tatuado em mim porque o

Qual o valor duma promessa?

Qual o valor duma promessa ? O que significa, para mim, ouvir-te dizer que será para sempre e que estarás do meu lado até que não estar seja inevitável?  Qual o valor que dou à promessa  que me fazes todos os dias? É enorme, enche-me a alma e não me permite duvidar, porque sem ti permaneço sem a luz que o dia me dá, sem o amor que não quero perder e sem o ar que nunca posso deixar de ter, mesmo e sobretudo quando nos beijamos de forma sôfrega, numa entrega que apenas conseguem os que se reconhecem. As promessas  vão chegando, encadeadas, perfeitas, como é perfeito o que sinto por ti.  As promessas  que me trazias antes, mas que apenas agora ousei ouvir, já não saem de mim.  As promessas , as tuas, que se colam às minhas, restauram as noites mais longas, como longo está a ser o tempo para te voltar a ter. Tudo o que sinto passo para ti, e explico, sempre que posso, que és tu e que terás que ficar, porque sem ti não haverá luz, nem amor que resista ao que deixaria de acont

O ataque é a melhor defesa...

O ataque é a melhor defesa ! É desta forma que muitos, se não a maioria, se movimenta na vida, atacando antes que o façam, gritando mais alto, para que os outros não possam ter voz e desistindo porque continuar obriga a mudanças. O ataque é a melhor defesa e eu mesma já tive ocasião de testar esta máxima, por isso garanto que resulta. Vamos primeiro à linha da frente e desferimos golpes que ferem mortalmente quem não estava preparado. A necessidade de nos defendermos constantemente dos outros, chega como uma sinal vermelho que nos impede, supostamente, de cair. Estamos sempre com ambos os pés atrás e quando os mais incautos se decidem a acreditar nos outros e na capacidade do mundo se movimentar da forma certa, dão-se mal. Não sei muito bem que conselho dar, não que me tivesse sido pedido, mas gostaria de poder dizer que não é a desconfiar que confiamos, eventualmente, no outro. Adora poder assegurar, sobretudo aos meus, que é julgando por nós que veremos a verdadeira

Sonhar é o que nos acorda para a vida!

É preciso possuir uma boa dose de sonhos para fazer sonhar. Nada como conseguirmos imaginar para além do que vivemos, diariamente, para que tudo saia do vulgar e do comum. Precisamos, todos, de muita loucura associada a cada sonho, para que sonhar não seja apenas uma forma de fugir, mas uma corrida para os lugares certos. Experimenta sonhar acordada, colocando cada peça nos lugares mais improváveis e vais ver que até as cores se misturam ao contrário para criar a tua paleta. Experimenta provar, saboreando e lambuzando-te, o que até julgavas ser amargo, ele se adoçará miraculosamente. Experimenta voar, ao invés de apenas caminhares e acabarás por te elevares sem qualquer receio das quedas. Experimenta não esperares por nada, tendo já tudo e acabarás por receber o que te pertence. Sonhar é o que nos acorda para a vida , sobretudo se andarmos a dormir na forma, esquecendo-nos do essencial, crescendo demasiado rápido e parando de acreditar no que até existe. Sonhar permite-

Para ti há sempre tempo!

Para ti há sempre tempo , porque o meu corre na tua direcção e o meu tempo só serve e faz sentido se o teu existir.  Há sempre tempo  para se amar quem nos ama.  Há sempre tempo , mesmo que seja reduzido e sem todas as horas que usamos a cada dia. Quem quer, realmente e quem precisa de precisar do outro, arranja  sempre tempo . Tenho tanto que fazer, tantos para cuidar, tanto para decidir, mas se não estás no que decido e se não te encontro no que faço, o meu tempo esvai-se, escapa-se-me das mãos e corre na direcção errada, deixando-me com tão pouco de mim, que fico sem o que me faz falta, sem ti. Não sei como devo continuar se não ficares, se não estiveres e se não me deres o que tanto pareço precisar. Não me apetece parar, mas sei que preciso de me parar, porque o ponteiro da energia está a descer e o que me mantinha viva, as tuas mãos, o teu olhar e a tua voz, faz-me tanta falta, que nem o tempo parece repôr o que estou a perder. Não sei como estar sem ti. Não entendo com

Para que servem os testes emocionais?

Não consigo deixar de pensar nas razões pelas quais a vida nos chega, por vezes, desenfreada e a abalroar tudo e todos. Talvez seja para nos recordar que não controlamos nada. Serão testes? Serão voltas e reviravoltas necessárias e inevitáveis? Serão descuidos ou desatenções? Para que servem os testes emocionais ? Para nos posicionar-mos melhor. Para sabermos quando recomeçar e reavaliar. Para que não nos acomodemos, sobretudo ao mau. Não termos como segurar o que nos foge das mãos, deveria servir para que agarrássemos tudo com mais atenção e entrega. Não podermos escolher de que forma correm os dias, até quando desatamos a correr, achando que chegaremos mais depressa, deveria fazer-nos escolher melhor.   Os testes emocionais chegam até nós em forma de pessoas, lugares, objectos e até palavras, as que ouvimos e as que precisávamos de ter ouvido para sermos diferentes, mas a verdade é que se não acontecessem, nunca saberíamos qual o verdadeiro sabor do que deve ser s

És adaptável ou consistente?

Trabalhar quem somos, o que pensamos e a forma como nos comportamos, tem timings, sequências e exigências que nem sempre analisamos, não com o cuidado que lhe é devido.  Consistência , eu era fã desta palavra, mas passei a gostar muito da  adaptabilidade , porque é possível mudar e permitir que a consistência seja reavaliada. Por norma sou  consistente , mas ultimamente dou comigo a ter a  versatilidade  que me deixa reavaliar o que tanto achei ser correcto, sobretudo para mim. Sou obviamente consistente  com o que acredito, mas aberta a novas formas de ver este mundo, que não sendo apenas meu, tem cores que nem eu mesma conheço, ou reconheço.  Sou consistente  com o que faço, mas já me depararei com novas formas de fazer e até muito mais bem-sucedidas.  Sou   consistente  com a forma como olho os outros, mas é tão engraçado perceber que até os consigo olhar com mais benevolência, ou respeito, quando me permito olhar sem julgar. O que mais desejo, especialmente daqueles

Blogs Portugal

A minha experiência com esta plataforma tem-me permitido um maior crescimento e alargado os meus horizontes. A possibilidade de parcerias reais com as marcas é mais facilitada e o ranking é respeitado por todos. Espero continuar a crescer e a fazer parte desta comunidade incontornável de influnciadores, com o apoio e validação desta grande plataforma. Longa vida aos bloggers e a  Blogs Portugal

Quem consegue amar apenas metade do tempo?

Quem consegue   amar apenas metade do tempo , quando der jeito, quando for conveniente, e quando a agenda o permitir?  Quem acredita , ainda, que as emoções se compartimentam e podem ser deixadas onde não perturbem demasiado? Quem poderá querer apenas umas migalhas, quando o bolo inteiro é tão mais doce e apetecível? Vamos ter sempre os cidadãos de primeira e de segunda fila. Os que fazem acontecer e os que esperam, pacientes, como fazem os abutres, pelas peças já mortas e sem vida. Bem, cada um come do que gosta, quanto a isso, nada a declarar! Alguns dos argumentos usados, mesmo que possam parecer muito válidos, apenas convencerão os tolos, porque no campo dos afectos, dos sentimentos e das relações, é mesmo assim que se passa, só aceita quem quer e só rejeita quem duvida e quer mais. Teremos, sempre, os que se escudam nas impossibilidades que apenas eles conseguem ver. Teremos, sempre, os pequenos, os que se deixaram encolher e que se escondem qual ratos, da vida. ( Que r

Não queiras ficar sozinho...

Não te afastes dos que te podem segurar as mãos. Não deixes de lado quem um dia se poderá pôr ao teu lado, curando-te das dores que te vão mesmo doer, sobretudo se estiveres só.  Não queiras ficar sozinho porque a solidão pode ser uma morte lenta e devagar só deves querer o amor. Não te estou a dizer que te agarres, de qualquer forma e feitio, a quem não te mate a solidão. Não vale tudo, porque não importa quem nunca se importar e porque não precisas de precisar sempre e nunca ter. Não te estou a motivar a procurar grilhetas emocionais, mas a quereres ficar preso a quem te motiva à partilha, à entrega e ao amor, o que te desejo, porque posso, é que não te afastes, irremediavelmente, de quem te poderá salvar. Não queiras ficar sozinho , não vai compensar, mas se eventualmente acontecer, espero que estejas verdadeiramente preparado!

Comigo só fica quem está comigo!

Já não desperdiço tempo precioso com quem não está, verdadeiramente, comigo, e estar comigo é saber de mim, o que sou, faço, quero e luto por ter.  Comigo só fica quem está comigo e deixei de fazer concepções. Não adianta procurar por quem nos procura e tentar falar sobre o que não têm forma de ouvir ou entender. A minha determinação não pode, nem deve, ser confundida com arrogância, até porque em momento algum me considero mais, já melhor, isso sim, lamento, mas a verdade é que existem seres que não valem o chão que pisam e esses NUNCA poderão ficar comigo. A vida vem com prazo de validade. Ela é-nos oferecida, mas tem que ser agradecida e respeitada. A vida é o agora, depois de tudo o que o ontem nos ensinou e tentou preparar para o amanhã. A vida é o que queremos fazer dela e eu quero TUDO o que a possa tornar mais grandiosa e válida. Deixei de querer saber dos que se arredaram. Não procuro, nem peço qualquer tipo de ajuda, porque eu sei quando devo oferecer a minha,

Deixaste de ser importante...

Que sensação de alívio se instala, quando percebemos que o que não era importante finalmente deixou de o ser, em nós. A nossa teimosia e tentativa, muitas das vezes descabida, de querer reverter o que já há muito morreu, força-nos a um uso anormal de energias, as mesmas que nos faziam tanta falta e que desperdiçámos. " Deixaste de ser importante e eu voltei ao primeiro lugar da fila. Andei por aqui a arrastar-me, meia adormecida e de repente até me tornei uma enorme expert em relações e sentimentos, mas sem saber nada do que acabou por me chegar"  UFA, que alívio. Que sabor doce de volta aos meus lábios. Que adormecer tranquilo e acordar revigorado. Deixar de te ter, sem qualquer mágoa ou recordação amarga, libertou-me para o que ainda me falta fazer. Ter-te veio na altura certa, isso aprendi, mas como terias que te ir, com a minha permissão, coube-me o trabalho de trabalhar a tua despedida. O que sinto hoje é que já tens o teu lugar, lá, bem arrumado, onde arrumo

Perguntem que eu respondo!

Mudar eu mudo, tantas vezes quantas possa e entenda ser necessário, por isso mudei, outra vez. Já sou para lá de profissional. Já consigo antever o que vai acontecer e esperar pelo inesperado. Nunca é fácil e não vou dizer que se vá tornando, há medida que as mudanças aumentem, mas o antes, a preparação para o dia D, já tem uma estrutura definida. Quantas vezes já me mudei? Perguntem que eu respondo . Nops, não me atrevo, mas adianto que foi para lá de muitas. O que posso responder é que a cada mudança procurei melhor, ter mais e subir uns quantos degraus. Não foi sempre assim, porque por vezes até os maus nos surpreendem e conseguem ser ainda piores, mas a carapaça fica mais dura e na luta passo a ter mais armas e eventuais meios de defesa. Mudar muda-nos os pólos, também os baralha, confesso, mas por vezes até passam a enquadrar-se melhor, activando a perspectiva da coisa. Sou, por que me fiz, muito mais organizada, diminuindo o que não tem que caber, para excluir o qu

Amar-te faz-me ser assim!

Amar-te é saber como ir ouvindo os teus pensamentos, os que manténs tão organizados, que me desorganizas todo por dentro. Não precisas de falar e só tens que ir olhando para mim e para todas as outras coisas, para que saiba tudo o que preciso de saber sobre ti. Amar-te é este exercício diário e louco de te querer agradar, sabendo que ter-te é o que mantém junto cada um dos meus pedaços, os que consegues reconstruir apenas com alguns sorrisos. Amar-te faz-me ser assim , desprovido de outra vontade que não passe por ti. Não quero centrar a minha vida na tua. Esforço-me, diariamente, por não depender de ti, mas a verdade é que preciso de te ter e de te saber por perto. Alimentas-me. Consomes-me. Viras-me e reviras do avesso, mas encontras sempre o melhor de mim. Não quero parecer egoísta e não tomo o teu amor por garantido, mas aprendo contigo que somos o que fazemos e eventualmente teremos de volta, por isso dou, muito, sempre e recebo, porque tu tens na mesma proporção.