Não era suposto termos ficado, não nesta vida e certamente que não nas anteriores. Não te reconheci, mas acreditei em cada palavra e por isso mesmo fez sentido que te pertencesse. Nunca foste para mim e até que o sabias, talvez por isso a tua intensidade quase me tivesse consumido, numa pressa que não entendia, numa urgência que apenas envolve os que sabem que vão perder, só não têm data, nem lugar.

Se o arrependimento matasse, morríamos sem saborear o que deveria ter chegado, mesmo que não ficando. Se alguém nos ensinasse a ver melhor quem nos procura e deseja, não saberíamos como desejar muito, pelo tempo que o tempo nos oferecer. Se calculássemos cada variável, eu pelo menos não estaria aqui, neste lugar onde sei o que tive de ti.

Nunca foste para mim e acredita que cheguei a duvidar, mas escolhi escolher a loucura que me invadiu e me impeliu a amar-te como nunca fizera antes, porque incluí todos à minha volta. Nunca foste para mim, mas assim mesmo sei que foste o que sabias e te era possível, por isso mantenho a sensação de grande e de um novo que o meu olhar nunca tinha visto. Nunca foste para mim, não para sempre, mas foste-o pelo tempo que mereci.

0 Comentários