2.3.20

Qual é o meu e o teu tempo?



Se o meu tempo não corre da mesma forma que o teu, qual de nós terá que esperar?
Não tenho que ser apenas eu. Não tens que querer apenas tu. Não podemos ignorar que o nós deve existir em todas as etapas, ou de contrário nunca nos encontraremos no mesmo tempo e lugar. Chegaste quando me fazias falta. Encontrei-te porque me faltava o que apenas tu pareces poder dar, o resto passará pela nossa capacidade de querer, MESMO, o que representamos um para o outro.
Hoje já ninguém luta, ao invés antecipamos rapidamente a guerra perdida. Escolhemos o aparentemente mais fácil e não usamos de qualquer tempo para analisar, pensar, reflectir e aceitar para prosseguir. Hoje já ninguém escuta, não o tempo suficiente para entender o significado das palavras. Armamo-nos com as nossas e avaliamos pelo que somos, sendo cada vez menos para os outros e por consequência para nós mesmos. Hoje já ninguém quer apenas querer e partir daí para começar a construir. Hoje amar é uma enorme trabalheira!
Quando eu aceitar que o meu tempo só se poderá encaixar no teu para que amar-te possa ser natural, em toda a sua imprevisibilidade, tu aceitarás que o teu tempo vai ter que correr na minha direcção.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Sozinha outra vez!

Sozinha outra vez , naturalmente, sem demasiados embaraços ou sequer dúvidas. Sozinha como terei começado um dia, mas nunca mais só, ...