the voice in my head, self-portrait by Cristina Otero. Senju-HiMe.deviantart.com on @deviantART


És muito do que preciso e assim mesmo pareces ser demasiado. Estás sempre para mim e consegues sossegar o meu coração cansado, mas queres mais e eu não sei como o dar!

Ainda tenho tanto para percorrer, lugares que preciso de ver sozinha e planos que foram passando por mim. Estava pronta para começar a minha viagem interior, parando de cuidar e sendo eu a personagem principal, mas apareceste tu, o homem que bem pode ser o da minha vida, mas que não quero encaixar, não agora e não ainda...

Escolhi escolher-me, porque é mais fácil e porque  a velocidade que me imprimir será apenas regulada por mim. Amar é cuidar em todos os momentos. Amar é saber quando ir, dando o que o outro precisa. Amar tem que vir com uma enorme entrega e não apenas com momentos fugazes. Amar é tudo o que já conseguiria fazer, porque amar-te é tão fácil, mas escolhi não nos escolher.

Escolhi escolher-me e sei que te vou magoar, numa dor que voltará direitinha para mim, mas enquanto não souber o que me espera do lado de lá da vida que planeei, vou apenas magoar-me a mim muito mais. Tu sabes que não existe ninguém por resolver, apenas eu mesma e a minha vontade de chegar onde já me vi. Tu sabes o quanto me esforço para ser mais inteira, segura e determinada e se fraquejar agora, permitindo que cuides de mim, talvez nunca mais tenha como voltar.

Escolhi escolher-me e dizê-lo foi dos momentos mais difíceis da minha vida. Sei que entendeste, mas as lágrimas, tuas e minhas, fizeram-me duvidar do que já pareço ter tão determinado e previsto. Escolhi escolher-me e espero não me arrepender!

0 Comentários