{Martha Medeiros} Pois, diante desse imenso ponto de interrogação que é o futuro de todos nós, reformulei minhas crenças: estou me dando o direito de não pensar tanto, de me cobrar menos ainda, e deixar para compreender depois. Desisti de atracar o barco e resolvi aproveitar a paisagem..


Existem pessoas sem as quais não podemos viver, mas a quem temos que deixar ir. Temos, uns quantos de nós, seres que entram na nossa vida, para nos trazerem bem mais do que conhecíamos. Temos almas que as nossas já conheceram antes, mas continuam sem saber como encontrar. Existem amores que nos matam por dentro pelo muito que nos fazem sentir, mas assim mesmo não conseguimos manter...

A oportunidade que a vida nos dá, de nos conhecermos melhor, de sabermos quem somos e o que nos faz felizes, é tão preciosa, que deveríamos agradecer sempre e para sempre, mas mesmo que saibamos tudo o que é suposto aprender, é inevitável que a dor se instale de cada vez que temos que deixar alguém ir.

Existem pessoas que nos balançam a imagem que tínhamos de nós mesmos, e que nos provam muito mais do que décadas de caminhos percorridos, muitos deles de forma aparentemente segura. Existem pessoas a quem vamos amar para o resto do tempo que nos restar e delas nos alimentaremos sempre que a fome interior se instalar, a que quase nos rasgará por dentro, numa solidão que só entenderemos quando levantamos a cabeça, paramos de chorar e aceitarmos. Existem pessoas assim, tão mágicas, que a magia volta a ser credível e a fazer parte de nós. Existem pessoas que nos devolvem tudo o que perdemos, quando a inocência se foi e a sobrevivência passou a colar-se ao resto.

0 Comentários