Views

Archive

Etiquetas

Facebook

Avançar para o conteúdo principal

De onde te vem a força?



De onde te vem a força quando até já achas que a perdeste?

O que carregamos dentro surge sempre que nos fizer falta e é dessa forma que nos regeneramos dos que nos usam, amargam ou simplesmente nos forçam a afastamentos que vão para lá do tempo que afinal temos. Somos testados diariamente, por pessoas, condições físicas e até pelo tempo, mas podemos passar com nota positiva em cada um, se puxarmos do que já acumulámos para os momentos desafiadores. Acordamos para o que o mundo nos decidir dar, mas o que quer que venha será apenas o retorno do que atirámos, com mais ou menos atenção e acreditando, na maioria das vezes, que já nos teríamos livrado do que demos a provar. Adormecermos tranquilos, ou mais inquietos, dependerá do que formos capazes de aprender sobre nós, os outros e toda esta corrente universal que nos liga, mesmo que decidamos ignorar os que também andam por aqui.

O que tens para perdoar e quem também precisa de te desculpar pelo que arremessas, quando acreditas ter um universo inteiro a girar por ti?

Existirão sempre duas versões para uma mesma história e tudo o que contares será certamente recontado de forma diferente, com mais ou menos cores e a saber ao que sabem as dores de quem as usa e atira como se fossem verdades irrefutáveis. O que sentes quando te vitimizas, ou cresces para pareceres maior do que todos, diz mais de ti do que de tudo o que te acontece. A forma como recebes e processas o que não controlas, valida o que nem precisas de falar, deixando-te exposta aos que julgavam conhecer-te e confirmando-te aos que nunca deixaram de te ver.

O que ainda esperas que te digam, ou façam sentir, enquanto escolhes ver o mundo apenas pelos teus olhos? Que caminhos cortas, achando que chegarás mais longe, quando na verdade o que te cabe só poderá ser percorrido por ti? Quanto tempo mais vais tentar esticar o tempo que não te pertence?


Comentários