You're walking down these stairs very early on a foggy morning. You smell the faint scent of men's cologne, and hear footsteps, but, no matter how hard you look, you don't see anyone. You spin around and find you're now face-to-face with the illusive man... What happens?:

Venha lá o diabo e explique porque razão o sabor amargo de ontemhoje já me sabe a tão doce!

Para onde vai a tal da consistência, as ideias formadas, o sabermos que queremos desta forma, mas que depressa transformamos numa outra, bem melhor, mais racional talvez, mas certamente mais bem-sucedida? O que se passa com os mortais deste planeta, será que até a mudança das estações nos está a influenciar? Não sei explicar tudo, mas talvez seja menos complexo do que parece. Na verdade estamos a viver à velocidade da luz, na maioria das vezes não paramos para pensar, para analisar o que nos chega, para equilibrar as palavras regulando o tom que usamos para nos fazermos entender. Eis que passamos a largar, qual bomba, todas as mágoas, medos e preconceitos de que somos feitos, a partir daí os danos serão sempre prolongados. No dia seguinte e já estou a ser generosa quanto à passagem das horas, sim porque há quem "acorde" daí a um par de segundos, mas voltemos atrás, no dia seguinte, já refeitos dos impactos negativos, começamos a ver com a tal da tranquilidade que nos andámos a roubar e o que parecia caótico deixa de ter qualquer importância.

Estamos a ficar todos malucos? É uma possibilidade, talvez de tantos produtos tóxicos que consumimos, mas penso que é mesmo pressa de viver, de decidir, de saber e de ter resposta, mas a pressa sempre foi inimiga da perfeição.

Vou começar a tentar pensar com calma e com tempo, quem sabe assim os sabores não se mantêm mais consistentes e não acabo a conseguir que o que realmente queria ontem seja o que ainda desejo no hoje, sem tirar nem pôr demasiadas vírgulas!

0 Comentários